Vigor aposta no Rio de Janeiro para reduzir dependência paulista

Com as vendas bastante concentradas no Estado de São Paulo, a Vigor Alimentos, empresa de lácteos da J&F – holding que controla o frigorífico JBS – escolheu o Rio de Janeiro para acelerar o processo de diversificação geográfica e reduzir a dependência do consumidor paulista.

Em entrevista ao Valor, o presidente da Vigor, Gilberto Xandó, confirmou que a empresa investirá R$ 180 milhões no Rio de Janeiro para construir uma fábrica e um centro de distribuição, conforme revelou a Secretaria de Desenvolvimento do Estado na última quarta-feira. O executivo ressalvou, no entanto, que esses aportes só devem começar em 2015. Antes disso, a Vigor pretende ampliar sua penetração no Estado por meio de uma maior equipe de vendas e distribuição.

"Queremos transformar a Vigor em uma empresa menos paulista e mais brasileira e faz muito sentido começar uma expansão efetiva pelo Rio de Janeiro, afirmou Xandó. A meta do executivo é elevar a participação do Estado no faturamento da Vigor dos atuais 8% para algo entre 25% e 30% nos próximos cinco anos. Nos primeiros nove meses de 2012, São Paulo representou 70% da receita líquida da empresa, que atingiu R$ 978,7 milhões.

Ainda que o centro de distribuição e a fábrica só se concretizem no médio prazo, o potencial do mercado carioca para os negócios da empresa já anima o presidente da Vigor. "Nós estamos nisso com um processo de venda e distribuição muito agressivo", afirma Xandó. Segundo ele, a Vigor é líder no mercado de requeijão no Estado.

A maior "agressividade" da empresa está ancorada num benefício de ICMS concedido pelo governo carioca, concedido por meio do Programa de Fomento ao Comércio Atacadista e Centrais de Distribuição do Estado do Rio de Janeiro (Riolog). Hoje, a Vigor conta com um centro de distribuição alugado, na região da Pavuna, na capital carioca.

Com esse primeiro avanço no Rio de Janeiro, Xandó acredita que a demanda pelos produtos da Vigor justificará a construção de um centro de distribuição próprio em 2015. "Teremos uma fábrica numa área contígua ao centro de distribuição funcionando dentro de quatro a cinco anos", prevê Xandó.

De acordo com o executivo, a diversificação geográfica da Vigor não ficará restrita ao Rio de Janeiro. Em entrevista concedida ao Valor em junho do ano passado, Xandó informou que, a meta de atingir um faturamento de R$ 5 bilhões em dez anos contemplava a construção de duas fábricas e dois centros de distribuição.

O primeiro passo dessa estratégia foi definir o Rio de Janeiro Agora, resta escolher onde será construído o segundo complexo, que também contará com fábrica e centro de distribuição. Xandó dá algumas pistas. "Olhamos Paraná e Minas Gerais com carinho", afirma o executivo. Recentemente, a Vigor adquiriu o Laticínios MB, empresa mineira de pequeno porte voltada para a produção de queijos especiais. A Vigor possui fábricas em São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Paraná.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2966206/vigor-aposta-no-rio-de-janeiro-para-reduzir-dependencia-paulista#ixzz2HfMKNFE0

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.