Vendas de fertilizantes sobem 30% no semestre

Fonte:  Valor | Fabíola Gomes | Reuters, de São Paulo

As vendas de fertilizantes registraram alta de quase 30% no primeiro semestre deste ano no Brasil, para 11,17 milhões de toneladas, impulsionadas pela firme demanda do insumo para o cultivo do milho safrinha e trigo, além da antecipação de compras para o plantio da próxima safra de verão, a partir de setembro, informou ontem a associação que representa a indústria.

No primeiro semestre de 2010, as entregas de fertilizantes totalizaram 8,62 milhões de toneladas. Somente no mês de junho, o segmento registrou vendas de 2,6 milhões de toneladas, um salto de mais de 50% em comparação ao mesmo mês de 2010.

"Boa parte (do volume vendido) é para consumo e foi para o solo, para o milho safrinha. Mas também tem uma boa antecipação para a soja", afirmou David Roquette Filho, diretor-executivo da Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA), no 1º Congresso Brasileiro de Fertilizantes, realizado pelo setor desde a criação da instituição.

A despeito do aumento no primeiro semestre deste ano, o executivo acredita que a sazonalidade do setor deverá ser mantida, com cerca de 60% das vendas concentradas no segundo semestre, devido ao cenário favorável para a demanda e os preços internacionais das commodities agrícolas.

O setor produtivo brasileiro tem sido beneficiado pelos bons preços das principais commodities agrícolas. De acordo com pesquisa divulgada nesta terça-feira pelo Ministério da Agricultura, o faturamento bruto das 20 principais lavouras do país deve alcançar R$ 199 bilhões em 2011, alta de 10,4% sobre 2010, atingindo um novo recorde.

Segundo o executivo da Anda, o desempenho no primeiro semestre reforça a expectativa de vendas recordes em 2011, de 26 milhões de toneladas, com crescimento de 6% sobre o 2010.

As importações de fertilizantes pelo Brasil, que compra no exterior a maior parte do que consome, cresceram 50% no primeiro semestre, para 8,97 milhões de toneladas, contra 5,94 milhões no primeiro semestre de 2010.

Durante o seminário, representantes do setor debateram os desafios futuros num cenário de pressão por mais alimentos, resultado do crescimento populacional mundial. Segundo o especialista Luis Ignácio Prochonhw, diretor do International Plant Nutrition Institute (INPI Brasil), a adubação com fertilizantes é central para garantir a segurança alimentar, apesar das críticas "infundadas" de que o insumo não é sustentável. O que está em questão é a utilização responsável dos nutrientes nas plantas – ou seja, o uso correto pelos agricultores. (Com Bettina Barros, de São Paulo)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *