Venda de máquinas frustra expectativas

As vendas de máquinas agrícolas e rodoviárias somaram 4.757 unidades em julho, conforme dados divulgados na manhã de ontem pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Em relação a junho, houve queda de 3,5%, mas na comparação com julho de 2017, quando a comercialização foi particularmente baixa por problemas de crédito, a quantidade foi 27,7% superior.

Havia uma expectativa no mercado de que as vendas subiriam em julho na comparação com junho, graças à entrada em vigor, em 1º de julho, do Plano Safra 2018/19. Mas como o governo manteve praticamente inalteradas as taxas de juros do Moderfrota (entre 7,5% e 9,5% ao ano), linha com recursos do BNDES voltada à aquisição de tratores e colheitadeiras, a expectativa se frustrou.

Com o resultado do mês de julho, nos primeiros sete meses de 2018, as vendas domésticas de máquinas agrícolas e rodoviárias somaram 24.627 unidades, um aumento de 2,4% sobre igual intervalo do ano passado.

Ainda segundo a Anfavea, as exportações de máquinas agrícolas a partir das fábricas instaladas no Brasil atingiram 1.230 unidades em julho, 13,7% mais que em junho e 4,1% menos que em julho de 2017. De janeiro a julho, as exportações chegaram a 7.427 unidades, aumento de 2% em relação ao mesmo período do ano passado.

Com a expectativa de que as vendas aumentem mesmo depois da frustração do mês passado, a produção nacional de máquinas agrícolas e rodoviária alcançou 6.711 unidades em julho, com altas de 26,5% na comparação com junho e de 23,8% em relação a julho de 2017. Nos primeiros sete meses de 2018 a quantidade superou 33 mil unidades e ficou relativamente estável.

A Anfavea informou ainda que havia 19.292 postos de trabalho no segmento no mês passado, ante 18.487 em julho de 2017.

Por Fernando Lopes | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *