Venda de leite longa vida cresce menos

As vendas do segmento de leite longa vida devem crescer 1,5% este ano e alcançar 6,7 bilhões de litros, estima a Associação Brasileira de Leite Longa Vida (ABLV). A projeção foi divulgada ontem pela entidade, que observa que o "ritmo histórico" de desempenho do setor é da ordem de 3% a 4% ao ano e que "a queda disso para menos da metade não é nada confortável em um segmento que, por tradição, já convive com poucas margens".

Em entrevista ao Valor em abril deste ano, o presidente da entidade, Cesar Helou, disse que a expectativa da ABLV era de um avanço da demanda semelhante ao visto em 2014, quando a produção de leite longa vida somou 6,6 bilhões de litros e cresceu 3,4% sobre 2013. Na ocasião, ele avaliou que, por se tratar de um produto básico e de baixo valor, seu consumo deveria ser poupado.

Segundo a projeção da ABLV divulgada ontem, esse mercado deve movimentar R$ 16 bilhões este ano, R$ 1 bilhão a mais do que em 2014, considerando um valor médio de R$ 2,40 por litro de leite ao consumidor.

No comunicado de ontem, a entidade afirma que "sem se abalar com o clima de pessimismo que impera no país, a indústria de leite longa vida vive momentos de apreensão sim, mas mostra fôlego para as adversidades e espera crescimento de vendas de 1,5% para este ano." Segundo afirma Helou, no comunicado, "por ser um produto de alto giro e margens baixas, esse quadro se agrava em momentos de crise, mas eu sou otimista".

Na visão da ABLV, o segmento de leite longa vida é favorecido pelo fato de "vir de um período de grandes investimentos, até meados de 2014, e por seus ganhos constantes de market share no segmento de leite fluido". Além disso, diz a entidade, o consumo de leite é "bastante regular e os números mostram que a perda do poder aquisitivo da população não implicará redução de consumo porque os preços irão se adaptar ao poder de compra do consumidor".

A expectativa de aumento de 1,5% da demanda é sustentada, segundo a associação, pelo crescimento vegetativo da população, pela contínua substituição do leite pasteurizado e em pó pelo leite longa vida e pelo declínio do leite de consumo informal.

De acordo com a ABLV, que realiza workshop hoje para comemorar seus 21 anos, o leite longa vida está presente em quase 90% dos lares brasileiros.

Por Alda do Amaral Rocha | De São Paulo

Fonte : Valor

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *