Valor da safra de soja deve somar R$ 130 bi

O bom desenvolvimento das lavouras de grãos na temporada de verão deste ciclo 2017/18 e o aumento dos preços de commodities como soja e milho por causa da quebra da safra argentina levaram o Ministério da Agricultura a novamente revisar para cima sua estimativa para o valor bruto da produção (VBP) agropecuária brasileira neste ano.

Segundo levantamento divulgado ontem pelo departamento de Crédito e Estudos Econômicos da Pasta, o VBP "da porteira para dentro" no país como um todo alcançará R$ 542 bilhões, quase R$ 12 bilhões a mais que o previsto em abril mas ainda 2,4% menor que o de 2017. Desse montante adicional, a soja deverá responder por R$ 5,2 bilhões, já que o cálculo para a oleaginosa, que está mais valorizada e cuja colheita baterá novo recorde, subiu de R$ 124,7 bilhões para R$ 129,9 bilhões, o maior da história.

Em relação às projeções divulgadas em fevereiro, quando a amplitude da quebra argentina ainda começava a ficar clara, o novo número do VBP geral é 4,9%, ou R$ 25,5 bilhões, superior, ao passo que o montante previsto para a soja aumentou 9,8%, ou R$ 9,7 bilhões. Como o valor da produção de milho deverá cair 7,8% em 2018 em relação a 2017, para R$ 45,3 bilhões – principalmente por causa da queda da colheita na temporada de verão -, o avanço da soja tem sido muito bem recebido em polos agrícolas importantes, até pela importância da matéria-prima para as economias regionais.

Por causa da soja, para o Centro-Oeste, região que lidera a produção brasileira de grãos, o ministério ajustou sua estimativa para o VBP conjunto das 21 principais culturas agrícolas para R$ 113,3 bilhões, 8,8% mais que no ano passado. Já o VBP agrícola total do Sul, segundo maior celeiro de grãos do país, foi corrigido para R$ 79,1 bilhões, o que representa uma queda de 8,4% na comparação que reflete a retração do milho.

Das 21 culturas que compõem o VBP agrícola brasileiro, que deverá somar R$ 366, 2 bilhões em 2018, há aumentos previstos em 2018 na comparação com 2017 também para algodão, amendoim, cacau, café, mamona, tomate e trigo. Em contrapartida, o Ministério da Agricultura prevê quedas para arroz, banana, cana, feijão, laranja, mandioca e uva.

Para as cinco principais cadeias produtivas da pecuária brasileira, a Pasta projeta VBP total de R$ 175,8 bilhões, R$ 1 bilhão a mais que o previsto em abril mas montante ainda 3,8% menor que o do ano passado.

Fonte : Valor