Vaivém: Vem mais pressão na carne suína

Peste suína africana na Alemanha, maior produtora da Europa, deve afetar o mercado mundial

A chegada da peste suína africana na Alemanha, maior produtora europeia com 5,3 milhões de toneladas ao ano, pode esquentar ainda mais os preços da arroba de suíno no Brasil.

Ao atravessar a fronteira da Polônia e chegar ao solo alemão, a doença levou não só preocupações à suinocultura do país, mas também entraves às exportações.

A China, grande importadora dessa proteína da Alemanha, deve buscar a carne em outros países. São poucos os fornecedores, e o Brasil é um deles.

Criação de porcos em fazenda na Alemanha

Criação de porcos em fazenda na Alemanha – Fabrizio Bensch/Reuters

A carne suína é essencial para os chineses. Antes da ocorrência da peste suína africana, o país produzia 55 milhões de toneladas. O avanço da doença e a necessidade de abate de boa parte do rebanho fizeram a produção recuar para 38 milhões de toneladas.

A menor oferta dessa proteína na China obrigou o país a elevar as importações, pressionando os preços mundiais. O Brasil não ficou fora dessa escalada.

Nesta quinta-feira (10), a arroba foi negociada a R$ 150. Há um ano estava em R$ 85, e há dois, em R$ 70, segundo informações da APCS (Associação Paulista dos Criadores de Suínos).

Valor agregado Honduras não tem uma grande participação no mercado mundial de alimentos. O importante, portanto, é elevar as receitas do setor com produtos que tenham maior valor agregado.

Ásia Mauricio Guevara, ministro da Agricultura, destaca as dificuldades na busca de financiamento e de tecnologia, principalmente para um país que tem um terreno muito acidentado. Mesmo assim, os hondurenhos buscam abrir novos mercados, principalmente na Ásia.

Lista extensa Em um encontro promovido pelo IICA (Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura), o ministro disse que as principais exportações são café, banana e camarão, mas que filé de tilápia, cacau, carne bovina e até frutas exóticas, como a pitaia, já fazem parte dessa lista.

Grande peso O café é o principal item da agricultura de Honduras. O país produz 7,3 milhões de sacas, é o quinto maior exportador mundial e o produto representa 5% do PIB (Produto Interno Bruto).

Quero uma Embrapa Mesmo diante de tantas dificuldades, a agropecuária de Honduras avança. O sonho do ministro, no entanto, é ter uma Embrapa no país. Aí, as coisas caminhariam melhores, segundo ele.

Vaivém das Commodities

A coluna é assinada pelo jornalista Mauro Zafalon, formado em jornalismo e ciências sociais, com MBA em derivativos na USP.

Fonte:  Folha

Compartilhe!