Vaivém: Faturamento é bom, mas produtor precisa ficar atento à alta de custos, diz CNA

O Valor Bruto da Produção poderá atingir R$ 1,2 trilhão neste ano, 16% mais do que em 2020

O faturamento da agropecuária deverá atingir R$ 1,2 trilhão neste ano, valor que, se confirmado, ficará 16% acima do de 2020, que já tinha sido um período muito bom.

Dois produtos sustentam valores tão elevados para este ano: o boi e a soja. Juntos, eles representam 50% de todo o faturamento da agropecuária dentro da porteira.

O setor vive um momento muito bom, segundo Renato Conchon, coordenador do Núcleo Econômico da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil).

Spray de água ajuda a refrescar as vacas no galpão da Fazenda Agrindus (SP); bem-estar dos animais ajuda a ampliar produção de leite

Spray de água ajuda a refrescar as vacas no galpão da Fazenda Agrindus (SP); bem-estar dos animais ajuda a ampliar produção de leite Eduardo Knapp/Folhapress

O coordenador afirma que o produtor investiu na produção e, devido à alta das commodities no mercado internacional e à desvalorização do real, as cotações internas estão favoráveis. Volume elevado e preços bons seguram as receitas.

O momento é favorável, mas também preocupa, segundo ele. O mesmo dólar que eleva os preços internos das commodities para patamares altos, traz para dentro do país novos custos, via compra de insumos.

A alta dos custos reduz a margem de lucro, e a preocupação é com os produtores desavisados. Ainda se ganha dinheiro, mas no futuro poderá haver um descasamento entre custos e receitas para os que não adotarem medidas de proteção. O custo sobe, e a rentabilidade cai.

É cedo ainda, mas esse possível cenário deve estar no radar do produtor. Ele precisa de um planejamento financeiro, afirma o representante da CNA.

A agricultura deverá render R$ 778 bilhões neste ano, puxada por soja e por milho, que representam 69% do volume financeiro deste setor.

Esse valor, no entanto, pode não se confirmar, uma vez que o milho está sendo plantado fora do período ideal. Qualquer problema climático reduzirá o volume produzido.

Do ponto de vista dos preços, incentivados pelos valores internacionais, não haverá grandes oscilações, acredita Conchon. A demanda externa continua, e a colheita dos americanos, devido ao clima, ainda é incerta.

Dois produtos, da lista dos 23 da agricultura analisados pela CNA, chamaram a atenção do coordenador da entidade. Um deles é a banana, que terá evolução de 22% no faturamento neste ano, por causa do aumento dos preços. O segmento deverá render R$ 15 bilhões.

O outro é o café arábica, cuja queda nas receitas poderá atingir 30%. Os preços estão bons, e em alta, mas a produção deverá recuar para 33 milhões de sacas, devido à bienalidade negativa.

O café, normalmente, tem uma safra boa, seguida de uma ruim. Neste ano, é o período de queda.

Os segmentos mais representativos da agropecuária brasileira deste ano serão a soja, com faturamento de R$ 382 bilhões, e a bovinocultura, com receitas de R$ 210 bilhões. Milho, com R$ 153 bilhões, e o setor de leite, com R$ 73 bilhões, vêm a seguir.

Fonte: Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *