Vaivém – Exportação de máquinas agrícolas sustenta produção interna

Colheita de milho no norte do ParanáMauro Zafalon/Folhapress20.07.14

Colheita de milho no norte do Paraná

A exportação está sustentando boa parte da produção e do emprego no setor de máquinas agrícolas. De janeiro a agosto, enquanto a indústria brasileira aumentou em 26% a produção, as vendas internas subiram 12%.

Nesse mesmo período, as exportações tiveram aumento de 39%. O destaque ficou para a de colheitadeiras de grãos, cuja evolução atingiu 121% até agosto.

Os dados são da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

Com a produção nacional de grãos atingindo 240 milhões de toneladas na safra 2016/17, as indústrias aumentaram em 40% a produção de colheitadeiras e em 27% a de tratores.

Já as vendas internas registram uma evolução maior para tratores, cuja comercialização subiu 16% no atacado. A de colheitadeira evoluiu apenas 2,5%.

A New Holland e a John Deere trocaram de posição na liderança de vendas de colheitadeiras neste ano.

A primeira teve participação de 38%, enquanto a segunda ficou com 36%. De janeiro a agosto de 2016, a John Deere liderava com 44%, e a New Holland tinha 33%.

No setor de tratores, a liderança no ano é da John Deere, com 29%, seguida da Massey Ferguson, que detém 21%.

A boa evolução da produção e das vendas de máquinas agrícolas tem permitido um aumento no quadro de funcionários da indústria. No mês passado, o setor empregava 18,7 mil trabalhadores, 16% mais do que em igual mês de 2016.

As perspectivas para a próxima safra, cujo plantio está começando, também são boas para o setor de máquinas. As primeiras estimativas são de área e de produção de soja, o carro-chefe da agricultura, próximas dos recordes deste ano.

*

Biodiesel sustenta moagem de soja no próximo ano

O processamento de soja deverá atingir 43 milhões de toneladas no próximo ano, conforme previsões da Abiove (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais).

Essa alta ocorre devido ao aumento para 10% da mistura de biodiesel ao diesel. A soja é a matéria-prima básica para a produção de biodiesel no país.

A Abiove estima a produção brasileira de soja de 2018 em 108,5 milhões de toneladas, volume que, se confirmado, indica recuo de 5 milhões em relação ao deste ano.

As receitas externas com as exportações ficam praticamente estáveis no próximo ano, podendo atingir US$ 29 bilhões, segundo a associação.

*

Agrícolas ainda seguram a inflação

A inflação média do país voltou a subir, conforme o IGP-DI (Índice Geral de Preços). A alta foi de 0,24% em agosto.

Os preços dos produtos agropecuários continuam, entretanto, em queda. Em agosto, caíram 1,81% no atacado, acumulando recuo de 18,9% em 12 meses.

Entre os principais alívios no bolso dos consumidores, e consequentemente menor pressão na inflação, estão soja, leite, feijão e tomate.

*

Biotecnologia – A União Química Farmacêutica investiu R$ 100 milhões em sua fábrica dedicada à biotecnologia, em Brasília. A empresa colocará novos produtos biotecnológicos tanto para a linha humana como para a veterinária.

Carnes – Estudo da Conab (Companhia Nacional de Armazenagem), divulgado nesta quarta-feira (6), indica que o desempenho da produção de carne de frango no primeiro semestre deste ano foi 3% menor do que o de 2016.

Média – Os dados até o primeiro semestre apontam uma redução da disponibilidade de carne de frango per capita para 42,8 quilos por habitante/ano. No ano passado, era de 44,7 quilos.

Suínos – Na avaliação dos técnicos da Conab, a concentração de mercados e a dificuldade de acesso a novos importadores são os principais fatores de preocupação para a suinocultura.

Açúcar – Para a INTL FCStone, o superavit mundial de açúcar alcançará 2,6 milhões de toneladas na safra 2017/18. A produção global sobe para 187,4 milhões de toneladas e o consumo será de 184,8 milhões.

Mauro Zafalon – Folhapress

Por Mauro Zafalon

Vaivém das Commodities

Mauro Zafalon é jornalista e, em duas passagens pela Folha, soma 40 anos de jornal. Escreve sobre commodities e pecuária. Escreve de terça a sábado.

Fonte : Folha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *