Vaivém – À espera de mais um bom ano no agronegócio, indústria de máquinas refaz cálculos

Setor espera evolução de 15% nas vendas de tratores e de 11% nas de colheitadeiras neste ano

Máquinas agrícolas na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP)Máquinas agrícolas na Agrishow, em Ribeirão Preto (SP) – Joel Silva – 3.mail.18/Folhapress

A área recorde de plantio e a produção elevada de grãos deste ano aceleraram as vendas de máquinas agrícolas. As indústrias de implementos registraram aumento de vendas de 24% em colheitadeiras e de 8% em tratores neste ano, conforme dados de setembro da Anfavea(Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores).

A produção nacional de grãos ficou em 228 milhões de toneladas na safra 2017/18, e alguns produtos, como soja e algodão, fizeram a diferença para o setor de máquinas.

A expansão de 1,3 milhão de hectares de plantio apenas na soja criou uma necessidade da compra de mais tratores e colheitadeiras pelos produtores. O algodão, cuja expansão de área foi de 25% neste ano, em relação ao anterior, puxou a vendas das colhedoras.

Área maior de plantio trouxe também produção recorde para as duas culturas. Os sojicultores colocaram 119 milhões de toneladas de soja nos armazéns, enquanto os de algodão colheram 2 milhões de toneladas de pluma, conforme os dados da Conab (Companhia Nacional de Abastecimento).

Essa produção elevada em período de preços bons resultou em uma garantia de renda para os produtores. Os de soja obtiveram um Valor Bruto de Produção de R$ 140 bilhões no ano, enquanto os de algodão, R$ 34 bilhões, conforme dados do Ministério da Agricultura.

Apesar de toda a crise econômica do país, o agronegócio vai bem. Com isso, a Anfavea refez os cálculos de produção de máquinas agrícolas para 61 mil unidades em 2018, um número 15% maior do que o de 2017. Na avaliação da associação, as vendas internas vão atingir 47 mil unidades, superando em 11% as do ano passado.

Boa parte dessa expectativa de evolução a Anfavea credita também aos últimos meses do ano, período de plantio da safra 2018/19. Pelas estimativas atuais das consultorias especializadas, área e produção voltam a crescer na safra 2018/19. Pelo menos nos casos de soja e de algodão, produtos que deixaram os produtores capitalizados neste ano devido aos bons preços dessas commodities e à variação cambial favorável.

Exportações O Brasil deverá exportar 79 milhões de toneladas de soja na safra 2019/20 (de fevereiro de 2019 a janeiro de 2020), segundo cálculos da Safras & Mercado.

Próximo O volume estimado para a safra 2019/20 fica próximo do que o país exportará em 2018/19, segundo a agência Safras.

Leite O Rabobank espera uma redução de 1% na produção brasileira de 2018 em relação à de 2017. A demanda termina o ano estável.

2019 Custos elevados e margens estreitas ficaram evidentes para os produtores mundiais recentemente. Esse cenário deverá persistir no próximo ano, estima o banco.

Vaivém das Commodities

Vaivém das Commodities

A coluna é assinada pelo jornalista Mauro Zafalon, formado em jornalismo e ciências sociais, com MBA em derivativos na USP.

Fonte : Folha