Vaivém: Cai interesse por agricultura com menos emissões

O programa ABC do governo -voltado à agricultura de baixa emissão de carbono- estagnou neste ano. Apesar do volume recorde destinado aos produtores, a procura por esse crédito está em ritmo menor do que em 2013.

Os produtores têm R$ 4,5 bilhões disponíveis na safra 2013/14. Até abril -dois meses antes do término da mesma-, a aplicação se restringia a 53% do total.

Na safra passada, quando o volume de crédito foi de R$ 3,4 bilhões, o desembolso pelos agentes financiadores atingiu 83% do total colocado à disposição.

O crédito do programa ABC visa produzir a transição da agricultura convencional para um modelo de produção que minimize as emissões de gases do efeito estufa.

A constatação desse recuo é de pesquisadores do Centro de Estudos em Sustentabilidade da Fundação Getulio Vargas para o Observatório ABC, cujo objetivo é buscar uma integração da
sociedade nessa transição.

Mauro Zafalon – 28.mar.2005/Folhapress

Agricultores aram a terra para plantio direto em lavoura de milho no norte do Paraná

Agricultores aram terra para plantio direto em lavoura de milho no PR; prática é alvo do programa ABC

O crédito é importante para o produtor rural acelerar os investimentos necessários à incorporação de alternativas tecnológicas de baixa emissão de carbono no processo produtivo.

Os analistas do Observatório ABC consideram que a redução da adesão nesta safra se deve à taxa de juros, que está em 5%, acima de outros programas do governo.

Além disso, as exigências para a obtenção desse crédito estão afastando parte dos produtores do projeto. A falta de assistência técnica e problemas fundiários, principalmente no Norte e no Nordeste, também são empecilhos, segundo analistas.

O maior desembolso foi para o Centro-Oeste, que ficou com R$ 885 milhões, um pouco acima dos R$ 802 milhões do Sudeste. O Estado que mais captou foi Minas Gerais -18% do total-, seguido de Goiás, 15%.

Os setores que mais utilizaram crédito do programa ABC nesta safra foram recuperação de pastagens (R$ 109,8 milhões), plantio direto (R$ 20,5 milhões) e plantio de florestas (9,5 milhões).

Para Angelo Gurgel, do Observatório ABC, um dos pontos positivos nesta safra é o aumento na transparência e na disponibilidades das informações.

*

Subsídios Estudo do Agroicone para a CNA aponta que os subsídios agrícolas dos EUA estão concentrados em poucos produtos: milho, soja, algodão, arroz e trigo.

Preocupação Esse subsídio poderá pressionar os preços internacionais. Diante disso, o embaixador Clodoaldo Hugueney, consultor da CNA, avalia que o Brasil pode mostrar aos EUA que está atento ao processo de implementação dessa política.

OMC A preocupação do Brasil pode ser manifestada em consultas entre os dois governos, mas há, ainda, a possibilidade de rodadas de negociações com os países do G20 na sede da OMC (Organização Mundial do Comércio), apontou Hugueney.

*

Usinas podem ter nova onda de fusões e aquisições

Com TATIANA FREITAS

A recuperação dos preços do açúcar no mercado externo, a partir do segundo semestre, e o maior consumo de etanol no país podem favorecer uma onda de fusões e aquisições no setor sucroalcooleiro. A avaliação é de Julio Maria Borges, da Job Economia e Planejamento.

Usinas em recuperação judicial e que encerraram atividades recentemente serão alvos de compra nos próximos anos. "Isso ainda não aconteceu por causa das incertezas que rondam o mercado."

Neste momento, o clima é de cautela. Segundo Borges, as usinas estão trabalhando para reduzir custos, operar em plena capacidade e escolher o mix de produção mais favorável à rentabilidade das operações, incluindo a cogeração de energia, que apresentou bom retorno em 2014.

*

*Em queda

Preço da cesta básica recua 0,64% em São Paulo

O valor da cesta teve nova queda em São Paulo. Segundo pesquisa do Procon-SP, o valor da cesta recuou 0,64% no período de 30 de maio a 5 deste mês. Dos 31 produtos pesquisados, 19 caíram de preço e 12 apresentaram alta. No período, o leite em pó subiu 1,9% e a batata teve redução de 5,9%.

Fonte: Folha

06/06/2014 02h00

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *