Vaivém: Agricultura deve criar corredores estratégicos para agronegócio

Reunião da ministra com representantes do setor destacou a necessidade da circulação de alimentos e de produtos exportáveis

Ministério da Agricultura deverá projetar corredores estratégicos para proteger as atividades essenciais do setor de agronegócio, como exportações e a circulação de alimentos e de insumos básicos à agropecuária.

A decisão foi avaliada em reunião por videoconferência entre a ministra da Agricultura, Teresa Cristina, e a OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras).

A criação desses corredores estratégicos são essenciais para a não interrupção do fluxo de produtos exportados pelo país, principalmente porque este é um dos períodos de maior intensidade das vendas externas de soja.

Além disso, a demanda chinesa por carnes está crescendo, após a retração do vírus no país asiático. Este é também um período de entrada, pelos portos brasileiros, dos insumos básicos para a próxima safra de soja.1 13

Soja no Brasil

Colheira de soja na fazenda Lagoa Santa em Guaíra, no interior de SP Ricardo Benichio/FolhapressLeia Mais

A necessidade da criação desses corredores e da prioridade na circulação de alimentos no país foram destaques desta coluna e do editorial de terça-feira (17) da Folha.

O ministério, que instalou um comitê de acompanhamento dos efeitos do coronavírus na atividade agropecuária, avaliou outros eventuais problemas que também possam a vir afetar o setor.

Na reunião foram tratados assuntos relacionados à proibição de transporte de pessoas em ônibus, o que impediria a chegada de empregados às fábricas, e a ausência de contêineres refrigerados nos portos brasileiros.

Na área da defesa sanitária, a SDA (Secretaria de Defesa Agropecuária) deu diretrizes para que sejam mantidas a inspeção, a fiscalização e as auditorias programadas para este ano.

Essas atividades visam principalmente as ações relacionadas à vigilância internacional, inspeção em frigoríficos e controle de resíduos e análises laboratoriais.

A SDA determinou, ainda, que as chefias de divisões do setor deverão disponibilizar pessoal para atendimento esporádico das atividades de vigilância agropecuária.
O ministério suspende também o atendimento técnico presencial ao público nas áreas animal e vegetal na sede do Serviço de Vigilância Agropecuária Internacional de Santos.Vaivém das Commodities

A coluna é assinada pelo jornalista Mauro Zafalon, formado em jornalismo e ciências sociais, com MBA em derivativos na USP.

Fonte: Folha