Vacina contra aftosa deve atingir 90% do rebanho

Cerca de R$ 10 milhões em doses estão sendo concedidos pelo governo a pecuaristas familiares enquadrados no Pronaf

Mayara Bacelar, de Cristal

Como em todos os anos, o mês de maio marca o início da campanha de vacinação contra a febre aftosa no Rio Grande do Sul. A data escolhida para o início dos trabalhos foi o 1 de maio, na cidade de Cristal. Na Fazenda Vitória, o governador em exercício Beto Grill deu a largada no processo de imunização, que deve abranger mais de 90% do rebanho gaúcho, ou cerca de 13,3 milhões de cabeças de gado bovino e bubalino, conforme as expectativas da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Agronegócio (Seapa). “Nossa intenção é não permitir que essa importante cadeia tenha qualquer tipo de barreira de mercado”, disse Grill. “Queremos e estamos produzindo a melhor carne do mundo e a sanidade do rebanho é fundamental para isso”, acrescentou o governador em exercício.
O diretor-técnico da Seapa, Eraldo Marques, lembra que a febre aftosa é um dos problemas mais antigos que afeta a pecuária gaúcha e que, justamente por isso, está sempre em evidência diante dos compradores. Marques explica que o governo do Estado está investindo cerca de R$ 10 milhões em doações da vacina, que totalizam mais de 5,1 milhões de doses destinadas a pecuaristas familiares e pequenos produtores enquadrados no Pronaf. O diretor ressalta que, mais do que superar o índice vacinal de 90% do rebanho, é preciso completar o processo com eficiência para manter saudável, além dos animais, o mercado para a produção gaúcha. “Temos que trabalhar para superar o estágio da vacina e para que nos tornemos livres da doença”, aponta Marques.
O período de vacinação foi iniciado ontem e vai até o dia 31 de maio. Uma das principais novidades no processo de imunização dos animais neste ano é a antecipação do prazo para a retirada das doses doadas nas inspetorias veterinárias (IVZ’s) até 24 de maio. A mudança tem como objetivo liberar os técnicos das inspeções para acompanharem de perto os produtores nos últimos dias de vacinação. De acordo com informações da Seapa, o volume disponibilizado de vacinas será suficiente para todo o rebanho do Estado, não havendo possibilidade de falta do produto.  Os pecuaristas que não estiverem enquadrados no Pronaf devem adquirir a vacina em casas agropecuárias. Sob o slogan “A saúde do rebanho gaúcho também depende de você”, a campanha quer chamar a atenção para a importância e a necessidade de impedir focos de febre aftosa entre os animais.

Fonte: Jornal do Comércio

Compartilhe!