União reduz participação no crédito

A participação do Tesouro Nacional nos recursos destinados ao crédito rural caiu de 64% em 1985 para 0,1% em 2011, papel assumido pelos agentes financeiros por força da exigibilidade bancária. Segundo o presidente da Farsul, Carlos Sperotto, hoje cabe ao governo a equalização de juros ao produtor rural em relação à taxa Selic e o apoio à comercialização de produtos agrícolas. Pelos cálculos do dirigente, na safra passada a aplicação da União em equalização e apoio ficou em R$ 4,8 bilhões. O total é bastante distante dos R$ 107,2 bilhões anunciados pelo governo federal como subsídio público ao campo no mesmo período. Os dados do Banco Central foram compilados para justificar o pedido de renegociação de dívidas, além da criação de um fundo garantidor para empréstimo extralimite.
Uma pesquisa feita pela federação com 300 produtores gaúchos apontou que mais de 90% deles desconheciam a origem do dinheiro do crédito rural. "Não estamos trabalhando com recursos públicos, que deixam de ir para a saúde ou a educação. Pedimos o mesmo acesso e facilidade de negociação que as pessoas têm quando possuem problema com o cartão de crédito", compara o economista da Farsul, Antônio da Luz. Segundo o especialista, como a negociação é coletiva e não individual, é necessário o aval do governo.

Fonte : Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *