União Europeia também embarga pescados do país

Felipe Dana / Associated Press

A União Europeia comunicou ontem ao governo brasileiro que vai tomar procedimentos para também embargar todas as plantas de pescados do Brasil que exportavam para o bloco europeu.

"Esse delistamento será aplicado por um ato legal que será submetido à aprovação dos Estados-membros em um encontro da Comissão Permanente de Plantas, Nutrição Animal e Alimentos", diz o diretor-geral para Saúde e Segurança Alimentar da Comissão Europeia, Xavier Prats Monne, em documento obtido pelo Valor.

No documento, Monne também adverte que as garantias sanitárias apresentadas pelo Ministério da Agricultura do Brasil para atender às recomendações feitas pelos europeus a partir de auditorias feitas em embarcações em 2017 foram "insatisfatórias".

Por fim, o diretor da UE ainda revela que foi informado pela imprensa brasileira sobre novas fases da Operação Carne Fraca que "podem sacudir o Paraná". E pede para ser comunicado sobre eventuais novos casos de fraudes, como os identificados pela Polícia Federal em testes de salmonela em cargas de carne de frango. Procurado, o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Luís Eduardo Rangel confirmou que a Pasta foi comunicada. Mas disse que ainda não há prazo para que a UE delibere sobre os embargos.

A partir desta quarta-feira passa a valer o embargo aos 20 frigoríficos de carne de frango que estão impedidos de exportar ao bloco europeu por tempo indeterminado. Doze dessas plantas são da BRF, maior exportadora brasileira do produto e alvo da Operação Trapaça, última etapa da Carne Fraca, que revelou as fraudes em testes de salmonela.

Segundo m dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura, as exportações brasileiras de pescados para a União Europeia renderam US$ 24,4 milhões no ano passado. Ao todo, o volume embarcado atingiu 6,7 mil toneladas. O carro-chefe é o atum ("bonito-listrado"), com embarques de 4,2 mil toneladas e US$ 8,2 milhões. O segundo item da pauta de pescados é a lagosta, cujos embarques renderam US$ 4 milhões. (Colaborou Luiz Henrique Mendes, de São Paulo)

Por Cristiano Zaia | De Brasília

Fonte : Valor