União estuda novo plano para ovinos

Projeto inspirado em programa gaúcho pode ser incluído no Plano Safra

Programa gaúcho para reter o abate de fêmeas pode ser modelo nacional<br /><b>Crédito: </b> MARCELO CONCEIÇÃO / DIVULGAÇÃO / CP

Programa gaúcho para reter o abate de fêmeas pode ser modelo nacional
Crédito: MARCELO CONCEIÇÃO / DIVULGAÇÃO / CP

A Câmara Setorial de Caprinos e Ovinos elabora proposta para criação de um programa nacional de fomento. O pleito será encaminhado ainda neste semestre ao Ministério da Agricultura e tem inspiração no Rio Grande do Sul. Lançado no início de 2011, o Mais Ovinos no Campo subsidia a retenção de fêmeas e aquisição de matrizes e reprodutores como forma de aumentar o rebanho.
Segundo o coordenador da Câmara Setorial da Ovinocultura no Estado, José Galdino Garcia Dias, que também integra o grupo que trata dos rumos da cadeia no país, a ideia é que os produtores brasileiros tenham acesso ao programa já no Plano Safra 2012/13. "Mostramos que a ação deu certo no Estado", avalia. Novos encaminhamentos virão na próxima reunião da câmara, agendada para 28 deste mês.
Com abrangência nacional, o crédito poderia ser tomado também junto ao Banco do Brasil, ampliando as alternativas. Para o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (Arco), Paulo Schwab, o incentivo é fundamental para o incremento do rebanho no Brasil, atualmente de apenas 16 milhões de cabeças, sendo 4 milhões no Estado. "Hoje, temos material genético da melhor qualidade, mas falta oferta de carne e de lã", explica o dirigente. Alta carga tributária, abate clandestino e falta de capacitação são os principais obstáculos enfrentados atualmente pela ovinocultura nacional, conforme Schwab.
O Mais Ovinos no Campo tem como meta aumentar em 10% ao ano o rebanho gaúcho e já resultou na queda de 27,7% no abate de fêmeas em relação aos machos, segundo dados da Secretaria da Agricultura. Até o final do mês passado, o crédito liberado pelo Banrisul atingia R$ 34,43 milhões para 1.469 operações e 230,9 mil animais. Foram contratados R$ 14,95 milhões nas aquisições de 66,2 mil matrizes e reprodutores e R$ 19,48 milhões na retenção de 164.722 fêmeas.
Total de abates
2010
Machos: 188.788
Fêmeas: 210.997
2011
Machos: 173.928
Fêmeas: 136.180

Fonte: Correio do Povo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.