União anuncia novas medidas contra seca

Rebate de 20% e Bolsa Estiagem de R$ 400 amenizam situação no campo

 Com anúncio na reunião de ontem, protestos foram cancelados<br /><b>Crédito: </b>  Andrea Farias / DIVULGAÇÃO / CP

Com anúncio na reunião de ontem, protestos foram cancelados
Crédito: Andrea Farias / DIVULGAÇÃO / CP

Duas medidas anunciadas ontem pela União para agricultores familiares atingidos pela seca no Sul do país acalmaram os ânimos de entidades representativas do campo. Após meses de negociação e resistência do governo federal, foi garantido o rebate de 20% para pagamento em dia do crédito individual de R$ 10 mil. Agora, basta a aprovação da linha de financiamento pelo Conselho Monetário Nacional. A outra medida é o auxílio emergencial de R$ 400,00 em cinco parcelas de R$ 80,00, mesmo benefício dado no Nordeste. Para acessar o auxílio, o produtor não pode ter sido beneficiado com o Proagro, seguro da agricultura familiar, deve possuir renda mensal de dois salários mínimos, apresentar Declaração de Aptidão ao Pronaf, além de inscrição no Cadastro Único de Acesso aos Programas Sociais do governo federal.
Segundo o ministro do Desenvolvimento Agrário (MDA), Pepe Vargas, 39 mil famílias devem ser beneficiadas por R$ 15,6 milhões. O produtor que se enquadrar no Cartão Estiagem do Estado, cuja parcela única será de R$ 400, poderá receber os dois benefícios. A previsão é que o socorro federal saia em julho.
Com o anúncio, foram cancelados os protestos previstos para hoje no Estado e Santa Catarina pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar da Região Sul (Fetraf-Sul). Para o coordenador da Fetraf-Sul, Celso Ludwig, apesar do pedido inicial de bônus ser de 50%, os 20% já valem. A avaliação é compartilhada pelo presidente da Fetag, Elton Weber. "No início das negociações eles estavam negando o bônus. Por mais que não tenha sido no percentual esperado, já ajuda", observa. No dia 5 de julho, as entidades se reúnem novamente com o MDA para negociar as dívidas dos agricultores.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *