Uma empresa agroindustrial confirmou o plano de investir 500 milhões de reais no interior gaúcho.


Um dos maiores produtores e exportadores brasileiros de proteína de frango, o grupo Vibra Agroindustrial confirmou ao governador Eduardo Leite, nesta quinta-feira (21), o plano de investir cerca de R$ 500 milhões no município gaúcho de Soledade (Planalto Médio).

A operação, no entanto, ainda depende de aprovação por parte do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica).

Caso isso se confirme, a partir do próximo semestre a empresa assumirá o controle do frigorífico Somave.

Fundado em Montenegro (Vale do Caí) em 1997 por antigos proprietários da Frangosul e com outras unidades no País, o Vibra adquiriu uma planta de produção em Soledade, com a expectativa de 8 mil toneladas de frango por mês.

De acordo com o diretor-presidente da empresa, Gerson Luis Müller, serão gerados 1,5 mil empregos diretos e incluídos mais de 250 produtores à cadeia local. Também está na mira do grupo o investimento em uma fábrica de rações, um incubatório e um frigorífico de processamento de aves.

"Uma planta produtiva no Rio Grande do Sul sempre fez parte da nossa estratégia", relatou Müller. "Somos uma empresa de origem gaúcha e o investimento no Estado é muito importante para concretizarmos nossos planos de crescimento. Em janeiro deste ano, a Vibra iniciou uma "joint venture" com a norte-americana Tyson Foods." "É extremamente gratificante receber uma notícia como esta, em um período tão conturbado quanto o atual, marcado pela pandemia de coronavírus, portanto contem conosco e, no que pudermos ajudar, estaremos à disposição", ressaltou Eduardo Leite durante reunião virtual com a cúpula do Vibra no final da manhã.

Também participaram do encontro os secretários estaduais Covatti Filho (Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural) e Rubens Bender (Desenvolvimento Econômico e Turismo).

Atuação No início desta semana, a Câmara de Vereadores de Soledade aprovou por unanimidade um projeto de lei que autoriza o município a conceder incentivos para o grupo Vibra instalar a nova unidade. A iniciativa prevê a doação de uma área de 150 mil metros quadrados, com um prédio de 371 metros quadrados, condicionada ao cumprimento das metas de geração de emprego e faturamento mínimo.

A doação da área terá prazo máximo de dez anos e o terreno fica próximo ao trevo que dá acesso a Barros Cassal, às margens da rodovia RSC 153, onde atualmente está o Centro Tecnológico de Pedras, Gemas e Joias do Rio Grande do Sul. Ainda neste ano, a empresa promete gerar mais de 20 empregos diretos e diversos indiretos na fase de construção do incubatório.

Somente neste local, a previsão é empregar cerca de 110 funcionários diretos até 2024, além de dezenas indiretos, com faturamento anual acima de R$ 48 milhões a partir de 2022. Além deste investimento, também estão previstos outros três, que é instalação de aviários (criadores integrados), frigorífico de processamento de aves e uma fábrica de rações.

(Marcello Campos)

Fonte: O Sul