Um novo frango a caminho?

Embrapa faz parceria com empresa japonesa para desenvolver um novo tipo de frango

por Globo Rural On-line

Editora Globo

Empresários japoneses vieram ao Brasil propor parceria com a Embrapa Aves e Suínos, de Concórdia (SC)

Um novo tipo de frango, para ser comercializado no Japão, pode estar prestes a nascer e terá um dedinho brasileiro envolvido nesta novidade. A proposta foi da indústria japonesa Eco Heads Corp., que procurou os pesquisadores da Embrapa Súinos e Aves, de Concórdia (SC) nesta semana, para tratar do assunto.
"Foi um contato importante e a possibilidade de desenvolvimento de um novo produto foi aberta", disse o pesquisador Elsio Figueiredo, da Embrapa, após reunir-se com o diretor presidente da Eco Heads, Tadashi Shimizu. Segundo Figueiredo, o objetivo da parceria é gerar um novo tipo de frango que teria material genético japonês e brasileiro.
"No Japão existe uma espécie de frango colonial chamadojidori. A ideia é utilizar 50% da linhagem desse produto, com mais 50% do material genético da Embrapa e criar uma nova espécie do animal”, explica o analista da área de Transferência de Tecnologia, Marcio Saatkamp. 
A proposta partiu dos japoneses, que buscam alternativas para solucionar os problemas causados pelo terremoto e pelo tsunami que atingiram a costa nordeste do país, em março de 2011. As consequências do desastre foram tão devastadoras que a produção de frangos foi afetada.
Com a falta do produto, os preços subiram significativamente. “Eles estão com produtos em falta e com um preço elevado. Então, decidiram buscar fora do Japão alguma ajuda para melhorar a produção e optaram pelo Brasil por ser um grande exportador de frangos”, explica Saatkamp.
Para confirmar a realização do trabalho conjunto, o presidente da empresa levou um documento com tudo que foi discutido na reunião. Caso a parceria seja fechada, o frango com material genético japonês e brasileiro será desenvolvido na Embrapa Suínos e Aves, em Concórdia (SC), e uma terceira empresa, também do Brasil, fará a multiplicação do novo frango.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *