Um grande negócio

A Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Crioulos (ABCCC) divulga hoje o resultado de um estudo realizado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da Universidade de São Paulo (USP), que dimensiona a importância econômica do cavalo crioulo no país. O estudo mapeia a cadeia envolvida na criação de animais da raça crioula e, ainda, o número de empregos diretos e indiretos que o segmento gera. O cavalo que participa do Freio de Ouro, e de várias outras competições organizadas pela ABCCC, por exemplo, movimenta diretamente uma extensa cadeia de trabalhadores: peões, veterinários, tratadores, ginetes, guasqueiros, ferreiros, caminhoneiros, e assim por diante. Indiretamente, o universo de profissionais envolvidos com a raça e seus campeonatos é ainda mais amplo: advogados, leiloeiros, fotógrafos, técnicos de televisão, jornalistas… Por isso, como deve revelar o estudo da Esalq, cavalo crioulo é genética, é paixão, é esporte mas também é grande negócio.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *