Tumulto e cansaço marcam discussões do Código Florestal

Depois de tentativas por parte PV e PSOL de afastar o relator da nova lei, deputados concordam em reiniciar sessão nesta quarta-feira (25/4)

por Luciana Franco

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Presidente da Câmara, Marco Maia, no plenário em discussão e votação do Código Florestal com as alterações propostas pelo deputado Paulo Piau (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr)

A sessão de apreciação do novo Código Florestalcomeçou com duas horas de atraso. Estava marcada para as 19h30 e foi iniciada 21h30 desta terça-feira (24/04) com os pedidos do PV e do PSOL de afastamento do relator, Paulo Piau. O PV defendia que o regimento interno da Câmara dos Deputados não permite que o co-autor de um projeto seja também relator do mesmo e apontava Piau como um dos autores do novo Código junto com o ex-deputado Aldo Rebelo.
Já o PSOL argumentava que havia descoberto que Paulo Piau recebeu um grande volume de doações por parte deagricultores para a sua campanha e devia abandonar a relatoria por questões éticas. Aberta a sessão para discutir o relatório do código ambos os pedidos foram colocados em votação, e negados.
Uma vez desobstruída a apreciação do relatório do deputado Paulo Piau houve tumulto no plenário da Câmara, uma vez que parte dos deputados queria ler e discutir o relatório na terça-feira e votá-lo na quarta-feira e outra parte queria ler o votar no mesmo dia.
Em função do tumulto instalado e do cansaço dos deputados – que tinham discutido no mesmo dia a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) sobre o bicheiro Carlinhos Cachoeira, o presidente da casa, Marco Maia, propôs que a leitura e votação do Código fossem retomadas nesta quarta-feira (25/4), às 11 horas da manhã, em sessão extraordinária. Os deputados concordaram.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *