Tudo certo para o IPO da Athena no Chile

Depois de receber sinais positivos de investidores de Estados Unidos e Chile, a Athena Foods, subsidiária da brasileira Minerva, pode lançar o prospecto da oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na próxima semana, apurou o Valor. A empresa será listada na bolsa de Santiago. Procurada, a Minerva não comentou.

Em esforços coordenados pelos bancos BTG Pactual e J.P. Morgan desde a semana passada, a proposta de abertura de capital da Athena foi apresentada a cerca de 35 investidores institucionais do Chile e aproximadamente 20 dos EUA.

Conforme fonte a par do assunto, as conversas com os investidores – conhecidas no jargão do mercado como "pilot fishing" – dão segurança para o sucesso da oferta.

A conjuntura, acrescentou a fonte, pesa a favor da Athena. Nos últimos dias, as ações dos frigoríficos listados na B3 (JBS, Marfrig, BRF e Minerva) foram impulsionadas pelo surto de peste suína africana na China. A doença pode reduzir a produção global de carne suína em 15%.

Nesse cenário, os preços das carnes devem aumentar, beneficiando os exportadores da América do Sul. Esse é justamente o caso da Athena, subsidiária que reúne as operações da Minerva fora do Brasil. Com abatedouros de bovinos na Argentina, Paraguai, Uruguai e Colômbia, a Athena Foods faturou R$ 6,9 bilhões no ano passado, 40% da receita da Minerva.

A expectativa da Minerva, conforme já indicado, é levantar entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão com o IPO da Athena, vendendo até um terço do capital. A maior parte dos recursos deverá ser usado para a empresa brasileira pagar dívidas.

Para ter sucesso no IPO, a Athena deve ir à bolsa com um múltiplo (relação entre valor empresarial e Ebitda) melhor que o da Minerva – hoje, as ações da brasileira são negocias a um múltiplo próximo de seis vezes na B3. Em 2018, o Ebitda da Athena foi de US$ 143 milhões (cerca de R$ 560 milhões, ao câmbio de ontem). Se conseguir um múltiplo de seis vezes, a Athena seria avaliada em US$ 840 milhões (R$ 3,3 bilhões).

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo

Fonte : Valor

Compartilhe!