Três cidades na Metade Norte terão nova ação antifraude

Promotor diz que leite adulterado é interceptado para evitar o consumo

Caio Cigana

caio.cigana@zerohora.com.br

A partir de indícios de que há mais leite sendo adulterado no Estado, o Ministério Público Estadual (MP) vai voltar a agir nesta semana. No alvo, grupos de mais três cidades da Metade Norte.

Segundo o promotor Mauro Rockenbach, responsável pelas investigações na área criminal da Operação Leite Compen$ado, estes núcleos têm modo de operar igual ao descoberto em Guaporé, Horizontina e Ibirubá. Os suspeitos também estariam adicionando água e ureia – com risco de presença de formol, substância com potencial de causar câncer se ingerida por longo período. Segundo Rockenbach, os consumidores não estão bebendo o produto:

– Este leite está sendo interceptado.

Em outra frente de ação para coibir a circulação de leite fraudado, o Ministério da Agricultura espera ter, no início desta semana, os primeiros resultados de testes para ureia e formol de amostras coletadas em outros 12 Estados. No total, já foi recebido material para análise de 66 indústrias. A iniciativa é para verificar se o crime se disseminou para outras regiões.

Quatorze pessoas foram denunciadas pelo MP. O grupo é acusado de crimes de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e adulteração de produtos alimentícios. Nos inquéritos civis abertos para apurar o caso, estão marcadas para o dia 28 audiências com duas das quatro empresas com lotes de leite adulterados.

Segundo o promotor Alcindo Bastos, da Promotoria de Justiça Especializada de Defesa do Consumidor da Capital, deverão ser propostos à Vonpar, dona da marca Mu-mu, e à LBR, fabricante da marca Líder, termos de ajustamento de conduta para que tenham maior controle de seus transportadores e aprimorem os testes nos laticínios. Será pedida indenização equivalente ao volume de leite fraudado que chegou ao mercado.

Fonte: Zero Hora

Compartilhe!