Três cidades de Santa Catarina decretam situação de emergência por causa da chuva

Outras 16 cidades estão sendo monitoradas pela Defesa Civil do Estado

Pryscilla Paiva

Divulgação/Canal Rural

Foto: Divulgação/Canal Rural

Chove forte no oeste do Paraná, nas áreas onde o milho safrinha está em estágio mais avançado

Várias cidades do oeste de Santa Catarina estão em alerta por causa da chuva forte que atingiu a região nas últimas horas. São Bernardino, São Domingos e Arabutã já decretaram situação de emergência nesta quinta, 01 de maio. Seara também deve decretar o estado e outras seis cidades estão sendo monitoradas.

• Envie suas fotos dos estragos da chuva em sua cidade

De acordo com a Defesa Civil do Estado, o volume de chuva superou o esperado para todo o mês de abril. Em Chapecó (SC) e Xanxerê (SC), as duas principais rodovias de escoamento, a SC-283 e a SC-160, foram bloqueadas por deslizamentos de terra comprometendo o transporte de suínos, aves e leite.

O coordenador regional da Defesa Civil-SC, Luciano Peri, disse ao Rural Notícias, que o Rio dos Queimados, em Concórdia (SC) chegou a 10 metros na barragem, que tem 12 metros de altura. Segundo ele, a chuva já diminui e não causou dano maior, mas os índices foram atípicos.
Depois de provocar chuva intensa no noroeste gaúcho e oeste catarinense, a frente fria já avança para o estado do Paraná. Em apenas 24 horas, a cidade de Foz do Iguaçu registrou 172 milímetros acumulados de chuva, sendo que a média esperada para o mês inteiro é de 135 milímetros.

– Já no primeiro dia do novo mês a cidade ultrapassou a expectativa climatológica em 26% – afirma Michelle Fernandes Moraes, da Somar Meteorologia.

O segundo maior volume acumulado vai para a cidade de Planalto que também fica no oeste do Estado paranaense, onde choveu 150 milímetros. O mesmo volume também foi registrado em Chapecó (SC). Os ventos passaram dos 70 km/h em Ponta Grossa (PR), na região dos Campos Gerais.

No oeste do Paraná, nas áreas onde o milho safrinha está em estágio mais avançado e a produção é mais significativa, os volumes de chuva alcançaram a metade da média prevista para todo o mês. Em Toledo (PR) e Cascavel (PR) foram mais de 60 milímetros de chuva. Por enquanto, não há registro de estragos nessas áreas. Choveu bastante também em algumas áreas produtoras de Mato Grosso do Sul, mas por lá as chuvas contribuíram para a manutenção dos índices de umidade do solo.

Na noite desta quinta, dia 01, a frente fria avança em direção ao mar. As instabilidades perdem força e só há previsão de chuva para a faixa leste do Rio Grande do Sul e para o norte do Paraná. Em todo o litoral Sul do país o mar fica agitado. Ainda há risco de temporais entre o oeste de Mato Grosso e o centro-sul de Mato Grosso do Sul. Na sexta, dia 02, o tempo volta a ficar firme em boa parte do Sul, a amplitude térmica aumenta, mas ainda sem previsão de frio intenso.
Há previsão de pancadas isoladas, atingindo uma cidade ou outra, apenas no norte paranaense, mas com volumes bem menores. A frente fria também vai conseguir levar umidade para algumas áreas do oeste paulista, mas sem volumes significativos. Na metade sul de Mato Grosso do Sul, as chuvas seguem moderadas.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *