Troca-Troca terá milho transgênico

O Conselho Administrativo do Feaper aprovou ontem, por dez votos a três, a inclusão de sementes transgênicas de milho no programa Troca-Troca. A decisão reverte veto aos OGMs imposto ao programa no ano passado e marca uma guinada política do fundo. Agora, o agricultor familiar que quiser cultivar o milho geneticamente modificado pelo Troca-Troca pagará R$ 115,00 por saca de semente no momento da assinatura do contrato como custo tecnológico pela transgenia. Os R$ 105,00 relativos ao custo da semente receberão desconto de 28%. Desta forma, o agricultor pagará R$ 75,60 por saca na época da colheita. ‘O recurso da tecnologia vem para o Feaper, que o repassa aos sementeiros’, informa o secretário de Desenvolvimento Rural, Ivar Pavan.

Outra decisão relevante do Feaper foi o aumento do subsídio concedido para as sementes crioulas, de 30% para 50%. Já as cultivares híbridas terão subvenção de 28% descontada no valor a ser pago em grãos após a colheita. Para o presidente da Fetag, Elton Weber, a inclusão da tecnologia transgênica ao Troca-Troca devolve ao agricultor familiar o direito de escolha. ‘Agora, o programa fica mais completo. Precisamos aumentar a produção de milho e, nesse sentido, a transgenia vem a contribuir.’ Na avaliação do presidente da Fetag, 40% dos participantes do programa, cerca de 220 mil famílias, deverão lançar mão das sementes transgênicas neste ano.

Já a coordenadora da Fetraf-Sul, Cleonice Back, criticou a posição aprovada ontem no Feaper por entender que a agricultura familiar deve se diferenciar do agronegócio. ‘Entendemos que os agricultores ficam dependentes das empresas responsáveis pela tecnologia. Além disso, cremos que o governo do Estado não conseguirá fiscalizar as lavouras para evitar, por exemplo, a contaminação da produção convencional de milho.’

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *