TRIGO – Informe da Embrapa menciona antecipação de demanda por sementes de trigo para este ano

Publicação cita representantes de sementeiras do Sul do país e aponta que a movimentação para a safra de inverno deste ano já começo

Trigo-grão-cereal-colheita (Foto: Divulgação/Biotrigo)

Crescimento da safra passada e preço elevado favorece procura por sementes (Foto: Divulgação/Biotrigo)

Produtores estão antecipando a procura por sementes de trigo para o plantio deste ano, menciona um informe publicado pela Embrapa Trigo, nesta semana, com base em representantes de sementeiras. De acordo com a unidade, o movimento já iniciado para a safra de inverno é explicado, entre outros fatores, pela produção da safra passada.

Com base em dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a Embrapa Trigo destaca que houve um crescimento de 14,8% na área de cultivo e uma produtividade 5,4% superior à de 2019. E o preço da saca de 60 quilos manteve uma trajetória de crescimento ao longo de 2020, fechando o ano próxima a R$ 70.

No Paraná, os produtores costumam decidir entre o trigo e o milho de segunda safra para a sequência da colheita de soja. “A procura do trigo, que antes acontecia no mês de março, neste ano começou em janeiro”, afirma o Diretor Executivo da Associação Paranaense dos Produtores de Sementes e Mudas (Apasem), Jhony Möller, segundo a Embrapa Trigo.

O informe alerta, no entanto, que o custo com a semente também aumentou. Citando dados do Departamento de Economia Rural, da Secretaria de Agricultura paranaense (Deral/PR), a instituição pontua que, enquanto o valor de venda do produto subiu 30,5% de janeiro a novembro de 2020, o insumo ficou 16% mais caro para o agricultor no mesmo período.

Ainda de acordo com a Embrapa Trigo, o diretor administrativo da Associação dos Produtores de Sementes e Mudas do Rio Grande do Sul, Jean Cirino, avalia que a procura tem estimulado as sementeiras a ampliar seu portfólio no trigo. Apenas no Estado, diz ele, são mais de 89 cultivares aprovadas para o plantio.

“Mesmo que nem toda a produção de sementes seja comercializada, certamente o mercado está aquecido, principalmente em função dos preços que tornam o trigo uma opção rentável além das vantagens no sistema de produção”, diz.

Sistema de Produção

Segundo a Embrapa Trigo, atualmente, existem 230 cultivares do cereal indicadas para as diversas regiões do Brasil. O pesquisador da unidade, Pedro Scheeren, recomenda que o produtor avalie na propriedade, reservando uma área para testar as opções existentes no mercado, já que o desempenho pode variar. Sanidade e eficiência no uso dos insumos são fatores que devem ser considerados.

"É preciso observar primeiro suas características agronômicas e a resistência às doenças. Mas devemos considerar sempre onde e como será cultivada a variedade escolhida, desde o ambiente, clima e solo, até a capacidade de investimento na lavoura, bem como o potencial de rendimento esperado na área com o manejo planejado, sem esquecer da liquidez daquela cultivar no mercado regional” explica.

Além disso, é preciso levar em conta que nem sempre os preços no mercado são favoráveis ao plantio do cereal. No informe, a Embrapa Trigo pondera que o investimento em uma lavoura do grão deve ser avaliado dentro do sistema de cultivo verão e inverno.

Um estudo feito nas safras de 2017/2018 e 2018/2019 em Londrina (PR) mostrou que o cultivo de trigo no inverno pode resultar em um aumento superior a 50% na produtividade de soja, plantada no verão, se comparado com a terra em repouso no mesmo período – o pousio.

“A palhada do trigo reduziu o estresse hídrico na soja durante o enchimento dos grãos e reduziu a temperatura do solo enquanto as raízes de cultura de inverno permitiram maior infiltração de água no solo”, explica Henrique Debiasi, pesquisador da Embrapa Soja, de acordo com o publicado pela Embrapa.

REDAÇÃO GLOBO RURAL

Fonte : GLOBO RURAL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *