Tradecorp adquire irlandesa OGT e avança em nutrição

A empresa de nutrição vegetal Tradecorp, do grupo belga Sapec, fechou a aquisição da irlandesa Oilean Glas Teo (OGT), especializada na colheita e processamento de algas marinhas. A transação, cujo valor não foi divulgado, é mais um passo na estratégia da Tradecorp para avançar no mercado de bioestimulantes, que podem ser produzidos a partir de algas.

Os bioestimulantes são moléculas que ajudam as plantas a se desenvolver e a resistir a estresses, principalmente climáticos. A Tradecorp já usava as algas da OGT como fonte de matéria-prima para a fabricação de bioestimulantes, em parceria que começou em 2011. Entretanto, com a aquisição, a companhia pretende "investigar mais as propriedades dos bioestimulantes de algas e adaptar a gama de produtos às necessidades locais", disse Nicolas Lindemann, diretor-executivo da Tradecorp.

A meta da companhia a médio prazo é que os bioestimulantes à base de algas alcancem entre 7% e 15% da receita global da Tradecorp, que foi superior a € 70 milhões em 2013. A empresa – que atua na Europa, África, América Latina e Ásia/Pacífico – comercializa também bioestimulantes feitos com outras matérias-primas, como aminoácidos de origem animal.

Em 2013, a Tradecorp utilizou 300 mil litros de algas para produzir bioestimulantes e a expectativa é que o volume cresça, segundo Lindemann. O mercado mundial de bioestimulantes é estimado em US$ 1 bilhão – Europa e EUA representam a maior fatia desse segmento. Conforme Lindemann, a expectativa é que esse setor alcance US$ 3 bilhões em 2018. O uso desses produtos no Brasil também deve crescer.

A aquisição da OGT também levará a Tradecorp a entrar no setor de gramados e campos esportivos, utilizando as algas para produtos que reduzam o estresse nessas áreas. As algas poderão ser usadas ainda como substrato verde para alimentação animal, outra área que a Tradecorp quer desenvolver.

No Brasil há mais de dez anos, a Tradecorp comercializa principalmente micronutrientes e fertilizantes especiais. Em 2013, faturou R$ 45 milhões no país, 17% mais que no ano anterior. Para 2014, a perspectiva é de crescimento, embora o avanço menor esperado para a economia brasileira possa impactar o resultado, admitiu Nicolas Lindemann.

Criada na Espanha como Agtech, a empresa foi rebatizada como Tradecorp quando foi adquirida, em 2000, pela Sapec, holding que também atua em logística, tratamento de resíduos, energias renováveis e no ramo imobiliário, além de proteção e nutrição de culturas.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3598200/tradecorp-adquire-irlandesa-ogt-e-avanca-em-nutricao#ixzz367uSdv6L

Fonte: Valor | Por Carine Ferreira | De São Paulo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *