Trabalhadores rurais discutem em Brasília pauta de reivindicações do Grito da Terra

Cerca de oito mil agricultores estão na Esplanada dos Ministérios

Wilson Dias/ABr

Foto: Wilson Dias/ABr

Pauta de reivindicações foi entregue pela Contag à Presidência da República no dia 27 de abril com 138 propostas

Trabalhadores rurais de várias regiões do país estarão em Brasília nesta terça, dia 30, para cobrar da presidente Dilma Rousseff um posicionamento sobre a pauta de reivindicações do Grito da Terra Brasil. De acordo com a Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), cerca de oito mil trabalhadores estarão na Esplanada dos Ministérios até as 17h30.

A pauta de reivindicações, intitulada Agenda por um Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário, foi entregue à Presidência da República no dia 27 de abril com 138 propostas e, de acordo com a Contag, expressa os principais pleitos de aproximadamente 20 milhões de trabalhadores rurais ligados à confederação, às 27 federações de Trabalhadores na Agricultura e aos mais de quatro mil sindicatos de trabalhadores rurais.

Entre os dias 21 e 29 de maio, representantes da entidade foram recebidos em quase 20 ministérios. Nesta quarta, dia da mobilização nacional, a diretoria da Contag, coordenadores e presidentes das federações devem ser recebidos pela presidente para tratar da pauta de reivindicações do 18º Grito da Terra Brasil.

Entre os principais itens da pauta estão o desenvolvimento rural com distribuição de renda e o enfrentamento às desigualdades, a garantia e ampliação dos direitos sociais e culturais com qualidade de vida no campo e nas florestas, a participação democrática, a organização sindical e o orçamento público.

Segundo a Contag, a base desta 18ª edição é “a realização de uma ampla e massiva reforma agrária e a valorização e o fortalecimento da agricultura familiar, questionando o descaso do governo ao papel da terra e do território para a valorização dos povos do campo”.

Fonte: Ruralbr | AGÊNCIA BRASIL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *