Trabalhadores lançam cartilha sobre operação em frigoríficos

Publicação aborda as novas condições de trabalho com base nas regras determinadas na Norma Regulamentadora Nº 36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados

Sirli Freitas

Foto: Sirli Freitas / Agencia RBS

Adequação às normas exigirá investimentos de R$ 7 bilhões nos próximos dois anos

A Confederação Nacional dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação e Afins (CNTA Afins) lançou nesta segunda, dia 24, a Cartilha dos Trabalhadores do Setor Frigorífico. Segundo a CNTA Afins, o documento aborda as novas condições de trabalho com base nas regras determinadas na Norma Regulamentadora nº 36 – Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados, assinada em abril.

>> Reveja série especial do Canal Rural mostrando as irregularidades de abatedouros brasileiros que comprometem a saúde dos trabalhadores do setor e da produção de carne no país

O presidente da CNTA Afins, Artur Bueno de Camargo, afirmou que, para que tenha efetividade, a NR 36 deve receber atenção especial do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) por meio da intensificação das fiscalizações, sobretudo nos municípios. Além disso, o dirigente sindical acredita que as mudanças no setor frigorífico irão beneficiar não só trabalhadores e empresas, mas a sociedade em geral, a partir da redução de custos do governo com os afastamentos no INSS.

De acordo com dados do Ministério da Previdência Social (MPAS), em 2011, ocorreram 19.453 acidentes de trabalho em frigoríficos, com 32 óbitos no setor. Este número representa cerca de 2,73% de todos os demais acidentes. Ainda segundo dados do MPAS, divulgados pelo MTE após assinatura da NR 36, dos 15.141 acidentes de trabalho que foram registrados pela Comunicação de Acidente do Trabalho (CAT), 817 resultaram em doença ocupacional.

Na época da regulamentação da NR, a Confederação Nacional da Indústria (CNI) estimou que as empresas do setor precisariam investir cerca de R$ 7 bilhões nos próximos dois anos, para adequação às exigências da norma. Conhecida com NR dos Frigoríficos, a norma traz inovações que visam à prevenção e à redução de acidentes de trabalho em frigoríficos e abatedouros em geral.

AE E CNTAAFINS

Fonte: Ruralbr

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *