Temperatura ameaça arroz na Campanha

Irga divulga hoje dados sobre perda na lavoura, castigada pela falta de água.

Além do déficit hídrico que gera dificuldade de manejo de água na Campanha, as baixas temperaturas podem afetar o desenvolvimento de lavouras de arroz em municípios de uma das mais importantes regiões produtoras do Estado. O sinal amarelo acendeu para os arrozeiros de Bagé quando os termômetros marcaram 11ºC no amanhecer de domingo. Na madrugada de ontem, foi a vez de Jaguarão, onde a temperatura chegou a 13,4°C. Já, em Santa Vitória do Palmar, na zona Sul, fez 13°C. Segundo a MetSul Meteorologia, o La Niña acentua a ocorrência de noites frias em áreas do sul do RS nesta época.
A preocupação deve-se ao fato de temperaturas abaixo de 15ºC causarem dano na fase reprodutiva do ciclo caso perdurem por período alongado de uma noite. De acordo com o gerente do Departamento de Assistência do Irga, Assis Pimentel de Morais, nestas condições, tende a ocorrer a esterilidade da espigueta, formada pela flor que origina o grão. Com a morte da espigueta, o grão não nasce, o que acarreta a redução da produtividade.
Apesar do risco, o coordenador regional do Irga na Campanha, César Maciel, minimiza o impacto da ocorrência. Justifica que temperaturas mais baixas se restringem aos municípios de Bagé e Dom Pedrito. E acrescenta que o problema na Campanha segue sendo a dificuldade de manejo de água. De acordo com a MetSul, a Campanha deve concentrar os menores índices de precipitação do RS no curto prazo.
Hoje, o Irga reúne coordenadores para avaliar os impactos do clima sobre a safra. O instituto ainda não fez nenhuma projeção, mas a Emater estimou que a produção deve cair 6,26% para 7,6 milhões t. A previsão considera produtividade de 6.938 kg/ha e área de 1,097 milhão de ha.

Fonte : Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *