Tecnologia traz benefícios a produtores de leite do Sul do país

Fonte: Canal Rural | RBS TV

Coleta eletrônica garante a qualidade do alimento

A tecnologia pode fazer com que produtores de leite da região norte do Rio Grande do Sul lucrem mais. A coleta foi qualificada através de uma pesquisa e agora os resultados dos testes são mais precisos. A coleta de amostras de leite é uma exigência da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ela é realizada todos os meses de acordo com a Instrução Normativa 51 do Ministério da Agricultura, que traz especificações e exigências da qualidade do leite.

Antes as amostras eram retiradas manualmente, o que poderia comprometer as análises. Atualmente os produtores das cooperativas de Erechim (RS) contam com amostras eletrônicas, o que possibilita resultados mais precisos.

– A expectativa é de que com a utilização do equipamento a gente consiga fazer uma diferenciação importante entre um produtor e outro. Acabamos fornecendo uma ferramenta para as cooperativas e para as empresas que vão poder diferenciar o produto e o preço – afirma o professor de Engenharia Agrícola, Sergio Mosele.

Com a estratégia, o resultado da boa higiene e da qualidade do leite será sentido no bolso do produtor.

– Nós pagamos mais pela qualidade do leite, fazendo com que o produtor agregue valor a sua propriedade e fique adequado a normativa 51. Isso interfere diretamente na possibilidade de realizarmos exportações – explica o presidente de cooperativa de leite, Edson Luis Serena.

Para realizar a coleta eletrônica por um ano, foram investidos R$ 100 mil, e cerca de 2,5 mil litros de leite por mês serão avaliados na região do Alto Uruguai (RS).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *