TECNOLOGIA – Hackathon do agronegócio recebe inscrições até o dia 26

BioIn foi a vencedora da edição de 2019 e é exemplo para mostrar projeção que pode ser alcançada

BioIn foi a vencedora da edição de 2019 e é exemplo para mostrar projeção que pode ser alcançada

/SENAR/RS/DIVULGAÇÃO/JC

Thiago Copetti

Unir o conhecimento que existe dentro das universidades, das startups e de investidores às necessidades do agronegócio – especialmente olhado para a gestão e a segurança – é foco da segunda edição do 2ª Hackathon do Senar-RS. A competição que estimula a criação de soluções em tecnologia para problemas comuns aos produtores rurais e tem inscrições abertas até 26 de novembro.

O evento deste ano será realizado online, entre os dias 4 e 6 de dezembro, mobilizando empresas, estudantes e mentores para orientá-los no trabalho e na compreensão das necessidades do campo, inclusive com produtores rurais tirando dúvidas durante a competição.

De acordo com Antônio da Luz, economista da Federação da Agricultura do Estado (Farsul), dado ao imenso potencial do agronegócio brasileiro em geral, o país tem condições de gerar também aqui gigantes em tecnologia voltada ao setor.

"Existe uma corrida global no agronegócio, o Senar é um propulsor da tecnologia no meio rural e o Hackathon uma forma de levar o conhecimento que está dentro da universidade para o campo. A tecnologia desenvolvida aqui tem tudo para ganhar projeção e escala mundial", avalia Luz.

A competição também tem como objetivo não esperar que as tecnologias para o agronegócio simplesmente "surjam" aleatoriamente, mas sejam criadas já com foco nas necessidades reais e mais urgentes de agricultores e pecuaristas, ressalta o economista.

Os hackathons voltados para o agronegócio, criados pela Confederação Nacional de Agricultura (CNA) por meio da rede Agro Up ocorrem em diferentes regiões do país e já encontram soluções que se sobressaíram no mercado, atraíram investidores e se tornando efetivamente produtos comerciais.

"O vencedor da edição gaúcha, em 2019, a BioIn é um bom exemplo da projeção que as startups que participam da competição podem alcançar. Depois de vencer a competição foi procurada por mais de uma empresa e alçou voo próprio", exemplifica Renan Hein dos Santos, coordenador do Escritório Regional de Inovação do AgroUp.

A BioIn trabalha com controle biológico de pragas e apresentou no ano passado uma microvespa que pode reduzir em até 56% os gastos com insumos na propriedade rural. A maratona de inovação de 2019 reuniu na PUCS/RS, durante três dias, 12 startups para solucionar quatro desafios para o produtor gaúcho nas cadeias de grãos, bovinocultura de leite e corte e fruticultura, com foco em custos de produção, segurança, comercialização, doenças, pragas e invasoras.

Neste ano, a disputa dará R$ 50 mil em prêmios e a expectativa é ter até grupos 15 competidores, divididos em equipes de até seis componentes. Eles terão de desenvolver em tempo real projetos de gestão e segurança para o meio rural, como para prevenir problemas de abigeato ou reduzir os custos de produção, por exemplo. Os critérios de escolha serão Criatividade e Inovação, Qualidade Técnica, Viabilidade e Aplicabilidade.

Como participar

Quando: de 4 a 6 de dezembro

Quem pode participar: Startups e estudantes da área de tecnologia para o agronegócio

Inscrições: Até 26 de novembro, no site www.senar-rs.com.br/hackathon

Premiação: R$ 15 mil para o primeiro lugar, R$ 7 mil para o segundo e R$ 3 mil para o terceiro

Informações: hackathon@senar-rs.com.br

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *