TECNOLOGIA – Governo gaúcho deve lançar R$ 11 milhões em editais para inovação neste semestre

Agronegócio foi um dos setores mais demandantes de recursos em programas estaduais

Agronegócio foi um dos setores mais demandantes de recursos em programas estaduais

Com próximo de R$ 11 milhões previstos para editais neste primeiro semestre de 2021, a Secretaria de Inovação, Ciência e Tecnologia (Sict) do Rio Grande do Sul tem no agronegócio um dos setores mais demandantes de recursos. Como segmento abarca diferentes áreas da economia gaúcha e múltiplos negócios desde antes do plantio até a chegada do alimento ao consumidor final, a atividade foi um dos destaques da área em 2020. E seguirá neste ano, assegura explica o secretário Luís Lamb.

“O setor tem cada vez mais proximidade com a tecnologia e precisa de soluções para agregar valor às matérias-primas e aumentar sua produtividade, por exemplo. E o agronegócio está em todas as atividades econômicas, da produção primária, passando pela indústria, transporte e comércio”, explica Lamb.

Dos projetos aprovados em 2020 em diferentes linhas de financiamento e inovação, conta Lamb, cerca de 50%, em alguns casos, tem relação com a agricultura e a pecuária ou atividades fins. Na lista dos projetos apoiados no programa TechFuturo, por exemplo, há desde startups e soluções pra melhorar a qualidade e o beneficiamento de carne bovina quanto a robotização de granjas de suínos até tecnologias de aplicação de químicos por drones. A parceria com os produtores e com a Secretaria de Agricultura é enorme, assegura o secretário.

“Queremos valorizar inovações, tecnologias e metodologias que permitam que o agronegócio colocar no mercado produtos com valor agregado maior. E temos bons exemplos de produções agrícolas gaúchas diferenciadas em carne premium, no azeite e nos vinhos, entre outros”, acrescenta o coordenador da pasta.

Em balanço das ações da secretaria em 2020, apresentadas nesta quarta-feira (13), o secretário ressaltou, ainda, os resultados do programa Inova RS, com a contratação de 24 gestores e a formação das mesas regionais sobre o tema, o investimento de R$ 5,6 milhões do edital Techfuturo, e do lançamentos de programas como o Produtos Premium, GameRS e Startup Lab.

Na área da saúde, alternativas locais e novas para o combate à Covid-19 também foi uma das prioridades. Além da coordenação do Comitê Científico e do Comitê de Dados, ambos responsáveis pelo suporte técnico do Gabinete de Crise do Estado, a Secretaria articulou ações de enfrentamento à doença com R$ 1,2 milhão para projetos de criação de produtos, serviços e/ou processos que auxiliem no combate à pandemia.

Outro avanço comemorado por Lamb é o Marco Legal Federal de Ciência, Tecnologia e Inovação, o projeto da Lei Gaúcha de Inovação, enviado à Assembleia em novembro, deve ser validado em 2021. Na área do Ensino ações para fortalecer a conexão de internet em escolas públicas incluiu a parceria agora ampliada com prefeituras para o fortalecimento até mesmo de provedores locais próprios e privados para facilitar o acesso de alunos e professores.

FREEPIK/REPRODUÇÃO/JC

Thiago Copetti

Fonte : Jornal do Comércio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *