TECNOLOGIA | Exportações em marcha a ré

A performance do mercado interno, porém, contrasta com as exportações. As vendas externas de tratores, por exemplo, recuaram 18,7% entre janeiro e maio. Nas colheitadeiras, o tombo foi ainda maior, 40,4%. Para Milton Rego, vice-presidente da Anfavea, uma das explicações é a retração das compras dos agricultores argentinos.
– Os produtores argentinos não estão nem vendendo a produção. É com se estivessem estocando dólares – diz Rego, referindo-se às incertezas macroeconômicas no país vizinho.
Outro problema é o câmbio, que tem levado o país a ver mercados tradicionais conquistados por concorrentes, como observa o presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas da Abimaq, Gilberto Zancopé:
– Estamos perdendo espaço na África para equipamentos dos EUA e Europa, que estão mais baratos.
No setor de implementos, a retração das exportações no primeiro quadrimestre foi de 7,4%.

Fonte: Zero Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *