Técnicas otimizam produção agrícola

Tecnologias inovadoras para impulsionar a mineração e o agronegócio são a grande aposta da Hitachi para expandir sua atuação no Brasil nos próximos anos. O diretor da Divisão de P&D da Hitachi South America, Takaomi Nishigaito, apresentou uma síntese dos planos da companhia em uma das sessões paralelas do Fórum Inovação Social, Eficiência e Produtividade Empresarial. "Pretendemos aumentar o uso de Tecnologia da Informação e de Tecnologia de Operações em todos os campos da agricultura", afirmou.

A corporação japonesa pretende comercializar no Brasil um sofisticado sistema que possibilita, por meio do uso de big data e do espectro de imagens de satélite, acompanhar o crescimento e a saúde das culturas agrícolas. Isso é possível por meio da análise do nível de absorção de clorofila pelas plantas e comparação com bancos de dados. "Também podemos fazer o controle da fertilização pela análise da quantidade de proteína", explicou. Adicionalmente, o sistema classifica culturas, identificando as pequenas diferenças entre as variedades, consegue estimar a condição do solo e predizer o rendimento antes da colheita.

O presidente da Yara Brasil, Lair Hanzen, falou sobre atividades de pesquisa e desenvolvimento em agricultura sustentável. A empresa centenária de origem norueguesa é líder mundial na área de fertilizantes, com 10 mil empregados, operações em 50 países e vendas em mais de 150. Hanzen referiu-se ao desafio global do setor agrícola diante do crescimento populacional que leva à demanda por alimentos de melhor qualidade, em um contexto de redução da terra agricultável e de sérias questões ambientais.

"A resposta é produzir mais alimentos com menos recursos e com menor impacto ambiental", sintetizou, lembrando que 48% dos produtores agrícolas do mundo usam fertilizantes minerais. O Brasil é o quarto maior mercado desse segmento, atrás de China, Índia e Estados Unidos. Anualmente a agricultura nacional consome 32 milhões de toneladas de fertilizantes, que têm sido um dos principais responsáveis pelo aumento da produção e da produtividade no país. "Temos dois extremos aqui: por um lado, a agricultura mais desenvolvida do mundo e por outro, regiões onde ainda predomina a atividade de subsistência", disse. "O potencial de crescimento é fantástico."

Em 2012, a Yara Brasil firmou acordo de cooperação com a Empresa Brasileira de Agropecuária (Embrapa), pelo qual se compromete a gerar conhecimento para soluções de fertilização com menos impacto ambiental. "É um trabalho de longo prazo e estamos muito orgulhosos por termos sido escolhidos para fazer isso", disse Hanzen. A Yara ainda não tem centro de P&D no Brasil para geração de tecnologia aplicável em nível mundial, mas pretende fazer um "forte investimento" em agricultura de precisão, área ainda incipiente no país.

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/3777022/tecnicas-otimizam-producao-agricola#ixzz3IxIKSCqS

Fonte: Valor | Por Dauro Veras | De Porto Alegre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *