Sustentabilidade ética

A expressão sustentabilidade no viés socioambiental está cada vez mais constante nas pautas dos governos e nas reuniões empresariais. Para alguns, é modismo, para outros, temática essencial à perpetuação da espécie humana. Durante sua participação no evento Fronteiras do Pensamento, o filósofo Peter Singer elencou como prioridade o cuidado com as mudanças climáticas. Porém, não é apenas na área ambiental que tal palavra é aplicada: no mundo dos negócios, é fundamental saber o potencial de sustentabilidade do empreendimento antes de aportar o capital. Tantas são as aplicações desse termo oriundo do latim (sustentar, apoiar, suportar), que ele deveria ser associado à palavra ética, pois as expressões conciliadas viabilizam uma reflexão mais apropriada sobre como estamos conduzindo a sociedade.
A sustentabilidade ética poderia servir de respaldo para a criticidade sobre eventos que de alguma forma nos contrariam enquanto civilização. Quando um conflito propicia que crianças sejam mortas por armas químicas, o olhar sob o prisma da sustentabilidade ética apontaria que aquelas lideranças envolvidas já não têm subsídio moral ou capacidade de sustentar quaisquer que fossem seus argumentos. Quando um contexto de mercado permite que um menino tenha seus olhos “roubados”, subentende-se que existe demanda: receptadores, profissionais com apurado conhecimento técnico para realização dos procedimentos, enfim, uma cadeia de negócio “sustentável” no sentido de viabilidade econômica, mas inadmissível para a sustentabilidade ética, pois como manter ou suportar tal conduta?
Perspectivas enquanto civilização – o que queremos para o futuro da sociedade? Conforto, status? Sim, por que não. Se conseguirmos conciliar a geração de empregos com a substituição de combustíveis fósseis por fontes renováveis: ótimo! Mas, sem premissas básicas como ética e compaixão, não nos sustentaremos nem com todo o dinheiro e as reservas ambientais do planeta.
Professor de sociologia da Fundação Bradesco e gestor de projetos do Gabinete de Inovação e Tecnologia da Prefeitura de Porto Alegre

Fonte: Jornal do Comércio | Alan Triumpho

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *