SOJA – Secretário americano confirma US$ 16 bi a produtor prejudicado por guerra

Segundo analistas, se a indenização para a soja for maior que a dos demais grãos, os agricultores podem decidir aumentar área para a soja

soja-lavoura-eua-illinois-planta-terra-seca (Foto: Tarso Veloso/Divulgação-ARC)Nova safra de soja dos EUA está em fase inicial de plantio. (Foto: Tarso Veloso/Divulgação-ARC)

O secretário de Agricultura dos Estados Unidos, Sonny Perdue, equivalente a ministro de Estados, confirmou que o novo pacote de assistência aos agricultores prejudicados pelo conflito comerciai do país com a China será de US$ 16 bilhões. Os pagamentos indenizatórios vão se tornar viáveis pelo Departamento de Agricultura norte-americano (USDA).

As declarações de Perdue foram concedidas durante entrevista à emissora Fox Business Network.Perdue disse, ainda, que os detalhes do novo programa de ajuda devem ser detalhados em breve. Na última terça-feira (21), o USDA negou os rumores de que pagaria US$ 2 por bushel da soja, US$ 0,63 por bushel para produtores de trigo e US$ 0,04 por bushel para cerealistas de milho.

Segundo a agência, o programa de assistência aos produtores está sendo "projetado para evitar distorcer às decisões de plantio". "Ainda há alguma incerteza sobre os detalhes restantes, mas esperamos que isso seja esclarecido", disse corretor da AgriVisor, Karl Setzer.

Alguns analistas acreditam que o pacote terá reflexos diretos sobre a decisão de plantio do produtor norte-americano. "O anúncio de que haveria mais uma rodada de pagamentos do Programa de Facilitação de Mercado neste ano provavelmente terá impacto nas decisões de plantio", disse o analista de mercado da RCM Alternatives, Doug Bergman.

Traders consideram que, dependendo do plano apresentado pelo USDA, apesar dos preços baixos e dos estoques altos, agricultores podem se ver forçados a plantar maior área com grãos. Segundo os analistas, se a indenização para a soja for maior que a dos demais grãos, os agricultores podem decidir destinar maior área para a semeadura da oleaginosa, mesmo que haja oferta robusta no mercado doméstico para este ano. "A grande dúvida que todos nós temos é como exatamente funcionarão os pagamentos de soja", aponta Craig Turner, da Daniels Trading.

POR ESTADÃO CONTEÚDO

Fonte : Globo Rural