Soja ocupará área de pastagem e avançará sobre milho no RS, diz Emater

Avanço ocorre por conta dos preços mais remuneradores da oleaginosa

por Estadão Conteúdo

Editora Globo

A área destinada à soja no Rio Grande do Sul na safra 2013/14 deve avançar 2,71%, para 4.855.127 hectares

A área destinada à soja no Rio Grande do Sul na safra 2013/14 deve avançar 2,71%, para 4.855.127 hectares, informou, nesta quinta-feira, 29/8, a Emater-RS em sua primeira estimativa de safra para próximo ciclo.
A empresa projeta que do ganho absoluto de 128.269 hectares, aproximadamente 96 mil virão de áreas antes destinadas à pastagem. A expectativa é de que a produção some 12.765.166 toneladas, avanço 0,07% ante 12.756.577 toneladas colhidas no ciclo 2012/13.
A safra de soja também deve avançar sobre áreas antes destinadas ao milho, de acordo com a Emater-RS, principalmente pelos preços mais remuneradores da oleaginosa.

O cereal deve ter redução de área de 2,89% em relação à safra passada, para 1.004.728 hectares, ante 1.034.623 hectares no ciclo 2012/13. A produção total deve somar 4.935.315 toneladas, queda de 7,75% ante as 5.349.956 toneladas colhidas na temporada anterior.
Com preços mais remuneradores nesta safra, a área de arroz também deve registrar incremento. A Emater-RS espera ganho de 1,49%, para 1.098.097 de hectares, ante 1.081.963 de hectares semeados na temporada passada. A produção da safra 2013/14 deve somar 8.579.986 toneladas, crescimento de 5,88% sobre as 8.103.811 toneladas colhidas na safra 2012/13.
O feijão de primeira safra deve crescer 3,56%, para 54.807 hectares, ainda de acordo com o levantamento. De acordo com a Emater-RS, "a valorização do produto nos últimos meses (cerca de 40% acima das médias históricas) foi capaz de frear a diminuição da área cultiva, a invertendo uma tendência observada desde 1995". A empresa calcula o preço médio do feijão a R$ 137,27ª saca de 60 quilos, ante R$107,59/saca no ano anterior. A safra 2013/14deve somar 69.059 toneladas, incremento de 1,65% ante as 67.940 toneladas colhidas no ciclo passado.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *