SOJA – Clima favoreceu a soja e o retorno do investimento em tecnologia

Previsão da Conab é de colheita de 105,6 milhões de toneladas da oleaginosa, volume 10,6% acima da safra passada

agricultura_fertilização_fertilizantes_aplicação (Foto: Thinkstock)

Com expectativa de boa renda, produtores investiram em adubação e outros tratos da lavoura. (Foto: Thinkstock)

A estratégia elaborada pelos produtores, de aumento no plantio da oleaginosa e utilização de um melhor pacote tecnológico, como forma de compensar a frustração da temporada passada, foi recompensada em âmbito nacional, pelo bom comportamento do clima nos diversos estágios de desenvolvimento das lavouras.

O comentário é dos técnicos da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), ao analisar a projeção de crescimento de 10,6% na produção de sopa, que pode atingir 105,6 milhões de toneladas, com aumento de 10,1 milhões de toneladas em relação à safra anterior e ampliação de 1,6% na área.

Os técnicos observam que na região Sul houve redução na área plantada de 1,5% em relação ao ocorrido no exercício anterior, atingindo 11.371 mil hectares, contra 11.545,4 mil hectares da temporada passada. A expectativa é de queda de 0,2% na produção, para 35,1 milhões de toneladas.

No Rio Grande do Sul houve pequeno aumento na área cultivada (0,7%), decorrente da soja semeada como segundo plantio, nas áreas de milho, milho silagem, feijão primeira safra e expansão da lavoura no sul do estado. A previsão é de queda de 5,1% na produção, para 15,381 milhões de toneladas.

No Paraná, a previsão é de aumento de 8,7% de produtividade em relação à safra anterior e há quem acredite que os números poderão ser maiores. “Caso isso se concretize, teremos recorde de produção estadual”, diz a Conab, que estima aumento de 4,5% na produção (para 17,6 milhões de hectares), apesar da redução de 3,9% na área cultivada. A colheita da soja paranaense está com atraso de aproximadamente 20 dias, devido ao frio de outubro e falta de chuva no início do ciclo.

Na região Centro-Oeste, principal região produtora da oleaginosa no país, a área plantada deverá apresentar incremento de 1,4%. Em Mato Grosso a colheita da safra, apesar das chuvas, ganhou fôlego em janeiro, atingindo 20% no fechamento do mês, principalmente nas variedades de soja de ciclo precoce.

Os técnicos observam que a maior parte dos trabalhos de campo deverá ocorrer em fevereiro, pois atualmente as lavouras de ciclo médio e tardio estão predominantemente no estádio de frutificação e maturação. “O clima, favorável até o momento, com chuvas bem distribuídas e constantes, estimulam as expectativas com relação à produtividade média da oleaginosa, estimada neste levantamento em 3.277 kg/ha, rendimento 15% superior aos 2.848 kg/ha registrados na safra passada”, dizem os técnicos.

Em relação à área plantada, o levantamento da Conab registrou aumento de 1,3% na área cultivada em Mato Grosso, saindo de 9,14 milhões de hectares para 9,25 milhões de hectares na atual. “Assim, o aumento de área plantada, combinado com a maior produtividade da soja deve contribuir para que o Mato Grosso registre, caso a situação favorável de clima se confirme, produção recorde da oleaginosa”, dizem eles, que preveem a produção de 30,341 milhões de toneladas.

A previsão da Conab é de aumento de 79,4% na produção de soja da região Nordeste, para 9,160 milhões de toneladas, graças ao aumento projetado de 60,3% na produtividade média. A área cultivada cresceu 11,9% para 3,221 milhões de hectares. O maior aumento (21,7%) ocorreu no Piauí, onde a produção deve crescer 208% para 1,994 milhão de toneladas.

POR VENILSON FERREIRA

Fonte : Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *