SOJA BRASIL – COMEMORAÇÃO DA SAFRA – Abertura da Colheita vai mostrar vantagens da irrigação

Cristalina, município que recebe o evento, é referência em irrigação e uso da água; encontro vai mostrar que é possível aplicar essas técnicas no resto do país

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Goiás recebe a Abertura Oficial da Colheita da Soja
5 motivos para participar da Abertura Oficial da Colheita da Soja
Para inovar, produtor deve participar da Abertura da Colheita da Soja
Participe da Abertura Oficial da Colheita da Soja – Safra 2015/2016
Nesta semana, o Canal Rural, a Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), Aprosoja-GO e Federação da Agricultura e Pecuária de Goiás (Sistema Faeg) organizam a Abertura Oficial da Colheita de Soja. Entre os dias 28 e 29 de janeiro, a Fazenda Capão Grande, em Cristalina, recebe o encontro. Para participar, acesse o site do Projeto Soja Brasil.

Um dos principais temas do encontro não poderia deixar de ser a irrigação. Afinal, Cristalina tem a maior área irrigada da América Latina, são mais de 50 mil hectares sob pivô. A região é uma referência no aproveitamento de água e sem gastar valores abusivos por isso.

O produtor rural e presidente da Associação dos Irrigantes de Goiás (Irrigo), Luiz Carlos Figueiredo, explica que a agricultura de hoje em dia exige menos riscos e a irrigação garante renda ao agricultor em qualquer situação climática. Figueiredo é um exemplo, ele consegue produzir 12 culturas na sua propriedade graças à irrigação.

– Nesta safra, não tivemos tanta necessidade de irrigar, mas se precisasse, a gente teria como evitar perdas. Sem falar no aumento de produtividade que a irrigação proporciona. Aqui em Cristalina, tudo que plantamos dá porque nós investimos na irrigação e temos a possibilidade de diversificar produtos: plantar hortifruti, cultivar soja e milho, investir na pecuária. Irrigação não é gasto – explica o dirigente.

Figueiredo desenvolve na sua propriedade, a Fazenda Capão Grande, uma irrigação sustentável. Pequenas barragens guardam as águas da chuva para que sejam reutilizadas na lavoura. Neste formato, o único gasto do agricultor é com energia elétrica. Além disso, estudos comprovam que a técnica não diminuiu a bacia hídrica nos arredores de Cristalina.

– Nosso único gargalo hoje é com energia elétrica, mas o produtor pode administrar a hora de irrigar, pode apenas complementar as chuvas e este é um modelo que outros estados podem adotar. Nós queremos mostrar [na Abertura Oficial da Colheita] que este é um instrumento que não pode ser deixado de lado, vamos mostrar como é possível armazenar as águas da chuva – argumenta.

Na programação do evento, no dia 28, quinta-feira, os visitantes poderão acompanhar como é feita a captação de água na Fazenda Capão Grande. Já no dia 29, sexta-feira, Kellen Severo comanda um painel sobre irrigação e o uso sustentável da água às 9h.

Para ver a programação completa do encontro, acesse o site do Projeto Soja Brasil.

Fernanda Farias/Canal Rural

Fonte: Canal Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *