Soda cáustica, formol e água oxigenada no cardápio

Até o surgimento da Operação leite Compensado, eu pensava que sabia responder qual a principal utilidade de três produtos  usados para mascarar a adição de água ao leite e para “recuperar” o produto estragado e incorporá-lo ao processo de produção. Para que serve soda cáustica? Para fazer sabão. Formol? Para preservar os tecidos de corpos sem vida. Bicarbonato de sódio? Para branquear os dentes, curar aftas ou tirar mau cheiro de geladeira. E água oxigenada, tecnicamente conhecida como peróxido de hidrogênio? Para desinfetar ferimentos e, dependendo da concentração, para descolorir cabelo. As cinco edições da Operação Leite Compen$ado mostraram que podemos estar consumindo soda, formol e água oxigenada no café da manhã.
É adequada, pois, a definição da juíza Patrícia Stelmar Netto, de Teutônia, que autorizou a prisão dos donos da Pavlat e da Holmann, as duas empresas do Vale do Taquari que caíram nas garras do Ministério Público:
_ Trata-se de um envenenamento em massa, beirando ao genocídio, contra os consumidores de leite cru e seus derivados, um crime hediondo, com consequências graves é sérias à população.
O promotor Mauro Rockenbach, que há mais de um ano se dedica a desvendar as fraudes no leite, deve ter a sensação de que está enxugando gelo ou, como no mito de Sísifo, carregando água num cesto, ladeira acima. Felizmente, ele não desanima e segue empenhado em investigar as fraudes e denunciar os maus empresários que, para aumentar o lucro, não hesitam em colocar em risco a saúde da população.
É revoltante constatar que, apesar dos indiciamentos, das prisões, das condenações e da exposição das marcas em que houve fraudes, gente inescrupulosa continua adicionando venenos diversos ao leite consumido por adultos e crianças. Pais começam a suspeitar que doenças incompatíveis com a idade de seus filhos seja consequência das misturas adicionadas ao leite. Em Estrela, uma criança de oito anos está sendo tratada para gastrite e o pai questiona se não será culpa do leite. Mães com filhos diagnosticados com intolerância à lactose se perguntam se o aumento de casos não é consequência de fraudes no leite.

Postado por rosane_oliveira, às 10:20

Fonte: Zero Hora

08 de maio de 20140

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *