São quase 210 unidades rurais dedicadas à criação animal

O maior número de unidades rurais existentes na Zona Sul de Porto Alegre é dedicado à criação animal. De 165 estabelecimentos em 2006, passou para 209 em 2017, conforme o Censo Agropecuário do IBGE. Há produção de aves (frango ovos e codornas), ovinos, caprinos, equinos, bubalinos, asininos, coelhos, abelhas e piscicultura.

Um dos setores que vêm recebendo investimentos é a criação de ovinos, que reúne em torno de 40 produtores na Capital, com foco em genética e desenvolvimento de animais. Cleber Vieira, da Cabanha CV, ex-presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos Naturalmente Coloridos, é um entusiasta da espécie.

Há 50 anos na atividade, nos últimos anos, Vieira qualificou o plantel e mudou o perfil de produção.

Antes, criava ovinos para vender; hoje, cria para competir.

Mantém 100 animais, entre matrizes, cordeiros e carneiros em duas propriedades, uma de seis hectares e outra de 80 hectares, localizada no Morro São Pedro.

"Criou-se um mercado de ovinos, que está em situação muito cômoda. A lã tem preço razoável, assim como a carne. Quem tem cordeiro está com dinheiro no bolso", propagandeia Vieira, que cria ovelhas pretas.

Sobre a zona rural de Porto Alegre, Vieira também destaca a criação de cavalos crioulos e quarto de milha, e o impacto que gera em outros negócios relacionados.

"Hoje, um cavalo de competição no laço vale tanto quanto um automóvel zero quilômetro.

Tem ainda fábricas de ração, serviços veterinários, venda de suplemento e pastagem, para citar outros fatores."

Fonte: Jornal do Comércio