São Paulo lança Pro Trator II e amplia ações para modernizar lavouras

Anúncio foi feito durante o evento que celebra os 120 anos da Secretaria de Agricultura do Estado

por Mariana Caetano

Divulgação | Secretaria da Agricultura de SP

A secretária de Agricultura de São Paulo, Mônika Bergamaschi (à esq.), durante abertura dos festejos dos 120 anos da entidade

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo deu início nesta segunda-feira (27/2) às comemorações pelos seus 120 anos. O evento aconteceu na capital paulista e contou com a presença de personalidades e profissionais do agronegócio, além dos colaboradores da entidade, reunidos na sede do órgão. Na ocasião, houve uma homenagem aos ex-secretários da Pasta. “Temos de nos manter sempre próximos aos produtores”, disse o engenheiro agrônomo Fernando Penteado Cardoso, que esteve à frente da Secretaria na década de 1960.
Durante o evento, a atual secretária da Agricultura de São Paulo, Mônika Bergamaschi, assinou o documento que estabelece o Pro Trator II, que investirá R$ 125 milhões – sendo R$ 100 milhões do Banco do Brasil e R$ 25 milhões do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap) – no financiamento de tratores com potência de 20 cv a 120 cv, com ou sem cabine. O prazo de pagamento passou de cinco para seis anos. O limite de renda bruta para acesso ao Feap foi ampliado de R$ 400 mil para R$ 600 mil ao ano, o que permitirá que médios produtores tenham à disposição as linhas de crédito do fundo.
Houve a assinatura do decreto que valida o Projeto Bom Preço do Agricultor, que tem como objetivo articular ações visando a criação de varejões, galpões e parques para escoar a produção hortifrutigranjeira. A cafeicultura foi igualmente beneficiada, com a aprovação do Projeto Café Paulista, que deve financiar a implantação ou renovação de lavouras, além da aquisição de novos equipamentos e infraestrutura. Uma outra iniciativa deve favorecer a agricultura em ambiente protegido (como túneis plásticos e estufas), que receberá recursos do Feap para o acesso a técnicas mais modernas de produção.
A secretária Mônika destacou a liderança do Estado em diversos setores rurais, a exemplo do sucroenergético, de citros, seringueiras e frutas. Há 120 anos, quando a Secretaria foi fundada, o café era a base da produção de São Paulo. Hoje, o Estado responde por 30% de tudo o que é produzido no campo brasileiro. “A agricultura de São Paulo é a maior e mais diversificada do país”, afirmou. Ela elegeu a recuperação de estradas vicinais, o bom desempenho do Programa de Microbacias (que buscou recuperar áreas degradadas e preservar a qualidade da água) e o de subvenção ao seguro rural como avanços decisivos obtidos com a ajuda da Secretaria na última década.
O governador paulista Geraldo Alckmin, que esteve presente à cerimônia, fez menção à importância do campo para a economia paulista. “O desafio é avançar sempre, acompanhando o dinamismo da iniciativa privada”, ressaltou.
Durante o evento, foi lançado pelos Correios um selo personalizado e um carimbo comemorativo aos 120 anos da Secretaria de Agricultura.

Fonte: Globo Rural

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.