Sistema Fiergs implanta Conselho da Agroindústria

Fonte: Jornal do Comércio

ANA PAULA APRATO/JC
No ato, Müller salientou a forte diversidade da indústria gaúcha.
No ato, Müller salientou a forte diversidade da indústria gaúcha.

Foi criado nesta sexta-feira (23) o Conselho da Agroindústria (Conagro), que busca apoiar, no Rio Grande do Sul, a cadeia produtiva da agroindústria, que representa 15% do PIB industrial do País e participa com 21,9% dos empregos da indústria de transformação. A instalação do projeto é do Sistema Fiergs.
No ato de lançamento, o presidente do Sistema Fiergs, Heitor José Müller, anunciou o industrial Marcos Oderich como coordenador do Conselho da Agroindústria.
"O Brasil é, hoje, o maior exportador de alimentos e o segundo produtor do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. As riquezas produzidas no campo brasileiro somam cerca de US$ 500 bilhões anualmente, o equivalente à soma de toda a riqueza produzida em países como Argentina e África do Sul e ao dobro da produzida por países como o Chile e a Dinamarca. O campo brasileiro é uma potência mundial. E, por isso mesmo, tem grandes desafios", afirmou o ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, que também participou do ato.
Müller salientou a forte diversidade da indústria gaúcha, que tem a cadeia produtiva da agroindústria como um dos pilares. "Ela está na origem do nosso processo de industrialização. Consolidou-se ao longo do tempo e inovou. Tem produtos exportados para os mais diversos países. Dispõe de todos os requisitos da modernidade, das exigências globais, e da qualidade de classe mundial. Se a agroindústria faz parte dos primórdios do nosso setor industrial, ela também faz parte do futuro da nossa economia", disse.
A necessidade de se agregar valor à produção agrícola e pecuária foi abordada por Oderich. "Vamos trabalhar para o aumento dos níveis de competitividade, aproveitando as experiências daqueles segmentos que já conquistaram êxito no mercado mundial. De outra parte, nossa intenção é realizar um diagnóstico dos segmentos cuja participação tem sido descendente, buscando sua revitalização e, em alguns casos, visualizando as alternativas de reconversão industrial".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *