Setor vinícola cobra apoio da presidente

Expectativa é que Dilma Rousseff anuncie medida de proteção de mercado

Crédito:

Representantes do setor vinícola gaúcho vão aproveitar a presença da presidente Dilma Rousseff na abertura da 29 Festa Nacional da Uva, hoje, em Caxias do Sul, para pressionar o governo federal por medidas de proteção à cadeia produtiva nacional. Mesmo diante da expectativa de anúncios, os integrantes do Conselho Deliberativo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) já estão com um documento pronto, onde solicitam restrições à importação de vinhos finos, que corresponde a mais de 70% do consumo do país. Dilma deve abrir o evento às 16h30min ao lado dos ministros da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, e do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence. Sem antecipar medidas, o Ministério da Agricultura confirmou que há a expectativa de novidades para hoje.
Segundo o presidente do Conselho Deliberativo do Ibravin, Alceu Dalle Molle, os rótulos made in Brazil vêm perdendo espaço. Para se ter uma ideia, de 2002 para 2011, a participação de vinho estrangeiro no mercado brasileiro cresceu 192,4%, de 26,5 milhões de litros para 77,5 milhões de l. Apenas Chile, Argentina e Itália respondem por 75% da importação. "Estamos sofrendo concorrência desigual do Mercosul. Precisamos de folga para dar um salto na competitividade e investir em tecnologia", frisou Dalle Molle. De acordo com ele, a causa deste cenário é o preço acessível com o qual o vinho fino importado entra no país, competindo, muitas vezes, com o vinho de mesa nacional. "Em muitos países, o vinho é um dos produtos agrícolas que recebe subsídio do governo, porque ele é importante para manter o produtor na terra." A falta de padronização na rotulagem é outro fator que prejudica a concorrência, pontua Dalle Molle.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *