Setor da maçã quer renegociar

Lideranças do setor produtivo da maçã têm reunião no Ministério da Agricultura (Mapa), hoje, em Brasília, para tentar renegociar débitos em aberto. O montante, estimado em R$ 600 milhões, considera dívidas de custeio, comercialização e também investimento, envolvendo centenas de pomicultores do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, principais estados produtores.
Segundo o presidente da Associação Gaúcha de Produtores de Maçã (Agapomi), Blaise de Laurens Castelet, metade desta cifra equivale a débitos contraídos por fruticultores gaúchos. Os valores foram se acumulando ao longo dos últimos cinco anos, após consecutivas quebras de safra, provocadas por geadas e granizo, além de dificuldades na venda.
Ainda conforme Castelet, a ideia do encontro é pressionar o governo federal por uma resposta aos pleitos da Carta de Vacaria, encaminhados no ano passado ao secretário de Política Agrícola do ministério, Caio Rocha. A preocupação do segmento é que o passivo impede os fruticultores de acessarem as linhas de crédito oficial, com juros subsidiados, o que permite, por exemplo, a instalação de cobertura de tela sobre os pomares.

Fonte: Correio do Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *