Senado aprova MP 619 que amplia capacidade de armazenagem de grãos no país

Medida permite à Conab usar RDC para contratar a construção de silos e armazéns públicos para a safra 2013/2014

Produção/Canal Rural

Foto: Produção/Canal Rural

MP estabelece ações para ampliar e melhorar a capacidade de armazenagem

O Plenário do Senado aprovou, nesta terça, dia 1º, a Medida Provisória 619/2013, que estabelece ações para ampliar e melhorar a capacidade de armazenagem de grãos no país. Convertida no PLV 25/2013, a MP foi aprovada na forma como veio da Câmara dos Deputados e vai agora a sansão.
>>Veja mais notícias sobre armazenamento no especial SOS Logística

A Medida Próvisória dá, ainda, autonomia ao Ministério da Agricultura para autorizar a importação e utilização de agroquímicos ainda sem registro na Anvisa, em casos emergenciais, como no combate à lagarta Helicoverpa.

>>Mapa poderá autorizar uso de agroquímicos em casos emergenciais se o Senado aprovar MP 619

A MP permite à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) usar o Regime Diferenciado de Contratações Públicas (RDC) para contratar a construção de silos e armazéns públicos para a safra 2013/2014. A Conab pode contratar, sem licitação, banco federal para essa finalidade, que também será autorizado a usar o RDC. Esse regime, instituído pela Lei 12.462/2011, diminui os prazos de procedimentos e recursos na licitação e institui a contratação integrada, por meio da qual uma mesma empresa faz o projeto e o executa até a entrega final.

Os senadores Alvaro Dias (PSDB- PR) e Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) criticaram a adoção do RDC pela Conab. Rodrigues afirmou que o regime deveria ser utilizado como uma exceção na Copa do Mundo e não como regra para diversas situações. Para ele, o uso indiscriminado do RDC é uma “esculhambação completa” das regras de licitação.

Dias destacou que o RDC, além de ser inconstitucional, é um instrumento favorecedor da corrupção na administração pública. O senador observou que está ocorrendo o "desvio escancarado" de dinheiro público na Conab e que a medida deixará as portas abertas para o "superfaturamento desenfreado" de obras públicas no país.

A matéria foi encaminhada ao Congresso Nacional em junho. O governo justifica a urgência da MP com o argumento de que é preciso evitar a perda de competitividade no campo, afetando as exportações, além de estimular a agricultura familiar e atender os produtores rurais de baixa renda vítimas da seca.

Cana-de-açúcar

A MP também destina ajuda econômica para produtores de cana-de-açúcar do Rio de Janeiro, mas segundo o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), os artigos que tratam do assunto (21 e 22) serão vetados. De acordo com Pimentel, não há qualquer motivação que justifique uma subvenção para os produtores de cana do Rio de Janeiro e o governo não tem acordo para aprovar esses artigos.

O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) lamentou a decisão do governo anunciada por Pimentel, alegando que a medida era de fundamental importância para o setor sucroalcooleiro do Estado.

Programa Cisternas

O Programa Nacional de Apoio à Captação de Água de Chuva e Outras Tecnologias Sociais de Acesso à Água – Programa Cisternas tem a finalidade de promover o acesso à água para o consumo humano e animal e para a produção de alimentos, por meio de implementação de tecnologias sociais, destinado às famílias rurais de baixa renda atingidas pela seca ou falta regular de água.
>>Leia também: Plenário da Câmara aprova Medida Provisória que amplia capacidade de armazenagem de grãos no país

AGÊNCIA SENADO

Fonte: Ruralbr |

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *