Semana do Agricultor: plantio, manutenção e colheita

O avanço da produtividade da agricultura brasileira tem sido notório e tem muito a ver com a utilização de mais e melhores tecnologias no processo produtivo. Dando seguimento às publicações da Semana do Agricultor, nesta quinta-feira, (26), a pauta é o plantio saudável das culturas e o melhor manejo na manutenção, produção e colheita da produção agrícola.

Quando o agricultor utiliza o sistema de monocultura o solo pode ficar cansado e empobrecido. Para evitar este desgaste, é importante fazer a rotação de culturas, que no caso é alternar o plantio de diversas culturas de uma safra para outra. Na rotação, os agricultores geralmente plantam um tipo especifico de cultivo e no ano seguinte trocam a plantação para outro tipo.

Um detalhe importante é que o agricultor deve respeitar o tipo de cultivo mais adequado à região. Em áreas de morros, os plantios de florestas e culturas perenes, como o café e a laranja, que necessitam de revolvimento do solo, são mais indicados, enquanto em áreas planas a produção de grãos é mais indicada, visando reduzir a erosão do solo e a contaminação dos rios.

Existem diversas formas de cultivo na prática da agricultura: plantio direto, rotação de culturas, curvas de nível e afolhamento. Essa diversidade de técnicas existe em razão dos diferentes fins. Ora os agricultores priorizam a produtividade, ora priorizam a conservação dos solos. É preciso, pois, conhecer as diferentes formas de conservação do solo propiciadas por cada uma dessas técnicas de cultivo.

Hoje, um tema muito discutido são as possibilidades da utilização do sistema de plantio direto na agricultura orgânica, apresentando indicadores técnicos e econômicos para a comparação entre o sistema orgânico e o convencional.

A nutricionista Ana Carolina Zinato Santos Ramalho, que atualmente trabalha na área administrativa da fazenda da própria família, relata que o sistema de plantio direto baseia-se em realizar o cultivo diretamente sobre o solo, aproveitando os restos orgânicos da colheita anterior.

Na opinião de Ana Carolina, a técnica é considerada agressiva, uma vez que não concede tempo para a reposição dos nutrientes perdidos pelo solo e demanda o uso de uma quantidade maior de herbicidas. Ela acredita que a rotação de culturas é a técnica mais adequada para a manutenção da qualidade das terras e para conter as agressões ambientais realizadas pela agricultura. “Meu trabalho na verdade não é diretamente com o alimento pronto e sim com a matéria-prima, o que traz uma maior responsabilidade, pois se tratado de forma irregular afeta a produção do alimento em si. Muitas pessoas pensam que comer de forma saudável é apenas ingestão de frutas, verduras e legumes, quando na verdade tudo importa, desde a qualidade do solo, a maneira como as sementes são selecionadas, o manejo e a estrutura do plantio, a adequação na colheita e por fim, a forma correta de ingerir os alimentos. ”

Ela conclui dizendo que “a importância da agricultura familiar, além da economia em utilização de maquinários é a não utilização de produtos agrotóxicos, pois visa a produção menor com consumo rápido. Isto faz com que o alimento seja o mais natural possível, mantendo a qualidade nutricional. ”

Em suma, a conservação do plantio à colheita, consiste na prática de usar a terra e os atributos dela de forma sustentável. Quando não há controle correto para conservar e tratar podem acontecer dificuldades para o replantio. O ciclo de vida de uma planta começa no momento em que a semente é colocada para germinar e continua a se propagar até ser consumida, quando um outro ciclo começa. E como diz a famosa frase do químico Antoine Lavoisier: “Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma. ”

Acervo Pessoal

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário

Fonte : MDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *