Semana do Agricultor: a importância das sementes no desenvolvimento da agricultura

Aproveitando a semana do agricultor, nesta quarta-feira, 25, a abordagem é sobre as sementes e o impacto na agricultura desde a sua descoberta. Datada entre 10.000 e 12.000 a.C., a semente é o insumo mais importante da agricultura. Na época não se criavam ambientes agrícolas controlados como se faz na agricultura de hoje. Os agricultores cuidavam das espécies que ocorriam naturalmente, modificando seus habitats, facilitando sua reprodução, controlando seus competidores naturais e, eventualmente, transferindo-as para locais mais convenientes.

A seleção natural tinha um papel importante porque a intervenção humana não era suficiente para superar o fato de que as espécies úteis tinham de sobreviver ao rigor do ambiente natural. A grande importância da semente para a evolução do ser humano se deve ao fato de que, a partir do momento em que o homem passou a compreender a relação entre as sementes e o ambiente, ele foi levado à mudança nos hábitos.

De maneira geral, a semente é o veículo que leva ao agricultor todo o potencial genético de um cultivar com características superiores. Pequenas quantidades de sementes são multiplicadas até que sejam alcançados volumes em escala comercial.

Na agricultura tradicional ainda é comum o agricultor separar parte de sua produção para utilizar na safra seguinte como semente. Além dessa prática, pouca distinção é feita entre o grão que se utiliza para a alimentação e a semente utilizada para multiplicação.

O engenheiro agrônomo, José Luiz da Silva, afirma que o Brasil possui grande diversidade nas realidades sociais, econômicas, culturais e ambientais, esta última de grande complexidade, pois cada região do país possui características diferentes. “A sustentabilidade de um cenário favorável à agricultura depende de esforço contínuo e sincronizado do setor público e da iniciativa privada. A manutenção da produtividade crescente das diferentes culturas demanda ações criativas no conjunto dos agentes públicos e privados da cadeia agroindustrial. A extensão das áreas de cultivo e sua diversidade exigem soluções inovadoras e eficazes da pesquisa”, avalia.

Seja qual for o meio de reprodução das plantas, o manejo de sementes é como uma herança de sabedoria milenar que pode ser contada desde o início da história da agricultura, e o círculo de codependência econômica continua: os agricultores compram sementes ou mudas da indústria, que por sua vez, garantem a produção de alimentos saudáveis por meio da agricultura familiar.

Assessoria de Comunicação
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário

Fonte : MDA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *