SEGURANÇA – Governo e CNA criam plano de combate ao crime no campo

Além disso, a criação do Sistema Único da Segurança Pública permitirá que a Polícia Rodoviária Federal disponibilize parte do efetivo para auxiliar em regiões mais críticas

Fonte: Pixabay

O governo federal vai destacar efetivos da polícia civil e polícia rodoviária federal para combater a criminalidade na zona rural. a ação faz parte de um protocolo de intenções para ação conjunta de combate à violência no campo. O compromisso assinado entre o ministério da segurança pública e a confederação da agricultura e pecuária do brasil (CNA) estabelece o levantamento de ocorrências criminosas na zona rural de todo país. técnicos do serviço nacional de aprendizagem rural (SENAR) vão ser capacitados a colher informações junto aos produtores, direto das propriedades e de forma sigilosa.

A iniciativa é inspirada num levantamento iniciado pela cna no ano passado, mas que foi feito pela internet, e como não houve adesão em massa, a expectativa é que a credibilidade dos técnicos em campo, junto aos produtores, ajude a retratar a escalada da violência com mais precisão.

“Nós fizemos esse levantamento, eu digo que é até superficial, mas nós vamos agora aprofundar com essa pesquisa para mostrar, realmente, por que estamos muito preocupados com a criminalidade no campo”, afirmou o presidente da CNA, João Martins.

O ministro  segurança pública, Raul Jungmann, informou que os dados vão ajudar o governo federal a adotar políticas de segurança pública, já que nenhuma força tarefa para o setor foi realizada até hoje. “A polícia rodoviária federal vai destacar e especializar parte do seu efetivo pras áreas mais críticas de criminalidade crescente em termos de campo, e nós também estaremos levando a coordenação de combate às facções criminosas para a questão do campo”.

O plano nacional de segurança pública também quer implementar o patrulhamento rural em todos os estados do brasil. trata-se de uma forma de comunicação entre os produtores, quando ocorrem crimes e atitudes suspeitas no campo. no rio grande do sul e em goiás, onde o sistema já é praticado, a ocorrência de crimes diminuiu 50%.

“O patrulhamento rural é uma forma de prevenção e atuação comunitária, junto aos produtores, ele auxilia no combate à criminalidade, que acaba se afastando das regiões onde existe esse patrulhamento rural”, destacou  Sandra Mara Guanglianoni, delegada Civil do Rio Grande do Sul.

O grupo de trabalho bilateral ainda vai ter outros objetivos, como a organização de conselhos de segurança pública e defesa social e incentivo de eficiência na gestão das políticas públicas de segurança. O prazo para debater e propor soluções conjuntas de combate ao crime é de dois anos, mas Jungmann garante a continuidade da iniciativa, após o fim do atual governo. “Quem cabe garantir isso é a cna e o futuro governo, o que nós estamos fazendo é deixando o legado” completou o ministro.

Por André Anelli, Brasília(DF)

Fonte : Canal Rural