SEGUNDA SAFRA – Milho: plantio chega a 90% no Paraná, que já registra perdas pela seca

Segundo agrônomo, na região de Juranda, os prejuízos podem ultrapassar 30% caso as precipitações não retornem nos próximos dias

milho seca paraná

Lavouras de milho em fase de enchimento de grãos já apresentam requeima das folhas. Foto: Paulo Vinícius Demeneck Vieira

Sem chuvas significativas há mais de 20 dias, as lavouras de milho segunda safra no Paraná já registram perdas de produtividade. Em Juranda, os prejuízos podem ultrapassar 30% caso as precipitações não retornem nos próximos dias, segundo o engenheiro agrônomo Paulo Vinícius Demeneck Vieira.

PUBLICIDADE

O especialista ainda explica que as lavouras mais novas estão definindo potencial produtivo em situação de estresse, cenário que compromete o desenvolvimento da cultura. Por outro lado, as plantações em estágio de enchimento de grãos já apresentam requeima das folhas.

“Nessas áreas, as lavouras terão que encher grãos com 40% a menos de área foliar. Em 2019, tivemos várias regiões de milho com produção de até 400 sacas por alqueire, esse ano não teremos esses recordes”, afirma Vieira.

milho seca paraná

Foto: Paulo Vinícius Demeneck Vieira

Até o momento, os produtores paranaenses semearam 90% da área estimada para a produção de safrinha, de 2,16 milhões de hectares, de acordo com levantamento do Departamento de Economia Rural (Deral), entidade vinculada à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento do Paraná (Seab). Em igual período do ano passado, cerca de 94% da área já havia sido plantada.

Em torno de 93% das plantações apresentam boas condições e 7% registram condições medianas. Em relação ao ciclo da cultura, o Deral reportou que 82% das áreas estão em desenvolvimento vegetativo, 15% em germinação e 3% em floração.

Por Fernanda Custódio, de São Paulo

Fonte : Canal Rural